MATO GROSSO DO SUL

Familiares de mulher morta pelo neto pedem por Justiça em frente ao Fórum

Vestidos com camiseta branca com a foto da vítima estampada e a frase: Queremos Justiça, o grupo clama por Justiça

19/02/2019 08h39 - Por: Folha de Dourados

 
Familiares em frente ao Fórum e pedem pena máxima o neto que matou a avó (Foto: Guilherme Henri) Familiares em frente ao Fórum e pedem pena máxima o neto que matou a avó (Foto: Guilherme Henri)

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Os familiares de Madalena Mariano de Mattos Silva, 59 anos, agredida até a morte pelo próprio neto, Weikmam Agnaldo de Mattos Andrade da Silva, 23 anos, fizeram manifestação em frente ao Fórum onde é realizado desde as 8h desta terça-feira (19) o julgamento do réu. Ele vai a júri popular pelos crimes de homicídio qualificado pelo motivo fútil, ocultação de cadáver e fraude processual. O caso aconteceu na casa onde o neto vivia com a avó, em maio de 2016, no Bairro Itamaracá. Desde o crime, Weikmam está preso no Instituto Penal de Campo Grande.

Vestidos com camiseta branca com a foto da vítima estampada e a frase: "Queremos Justiça", o grupo pede pena máxima para o acusado. "Ele foi criado pela avó desde os 9 anos. Era um menino normal. Nunca teve algo entre os dois que levantasse suspeita ou justificasse tamanha crueldade", diz uma das sobrinhas da vítima, Débora de Matos, 35 anos. A mãe de Weikmam mora em Cuiabá e deve acompanhar o júri.

Segundo denúncia do Ministério Público, o jovem asfixiou Madalena e bateu a cabeça dela no chão até a morte. Em seguida, ele tentou limpar o local do crime e levou o corpo da vítima para uma estrada vicinal próxima do bairro. Estranhando o sumiço de Madalena, uma sobrinha foi até a delegacia no sábado (14) para registrar boletim de ocorrência por desaparecimento.

Os investigadores, então, foram até a casa e encontraram vestígios de sangue e outros sinais do crime. Ao fim dos trabalhos, Weikmam chegou na casa. No começo ele negou, mas depois confessou o crime, alegando que, após a morte da avó, poderia vender os pertences da casa e pagar uma dívida de R$ 3,7 mil.

(Campo Grande News)

 

Envie seu Comentário