DOURADOS

Em crise e alvo de operação da PF, Secretaria de Saúde tem nova titular

Enfermeiro nomeado em janeiro deixou cargo um mês depois e adjunta, Berenice de Souza, assume como titular da pasta

21/02/2019 12h22 - Por: Folha de Dourados

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Em crise constante por falta de dinheiro para atender a demanda e alvo recente de uma operação da Polícia Federal, a Secretaria de Saúde tem nova titular em Dourados.

Nomeado no dia 22 de janeiro, o enfermeiro Vagner da Silva Costa, servidor concursado do município, voltou a ser adjunto e a também servidora de carreira Berenice Machado de Souza, que até ontem era adjunta, assume como titular.

Formada em serviço social e pós-graduada em gestão social, Berenice é servidora municipal há 35 anos e foi escalada pela prefeita Délia Razuk (PR) para buscar solução dos problemas que atingem a saúde pública em Dourados.

Berenice presidiu o Conselho Municipal de Saúde por cinco anos e seis meses e nesse período acumulou desavenças com prestadores de serviços, principalmente com o Hospital Evangélico, que move uma ação por calúnia contra ela no Juizado Especial de Dourados.

Antes de Vagner Costa assumir a pasta, em janeiro, a Secretaria esteve nas mãos do médico Renato Vidigal, que deixou a equipe de Délia Razuk na reforma administrativa que a prefeita fez no primeiro escalão.

Operação – No dia 12 deste mês, a Operação Purificação, desencadeada pela Polícia Federal para investigar suspeita de irregularidades na contratação de uma fornecedora de marmitex, cumpriu mandado de busca e apreensão na sede da Secretaria de Saúde.

A investigação mira também a Funsaud (Fundação dos Serviços de Saúde), que contratou a Marmiquente Comércio de Bebidas e Alimentos por R$ 1,8 milhão por ano para fornecimento de marmitex a pacientes e servidores.

No mesmo dia da operação, a prefeitura informou que havia solicitado, no dia anterior, uma auditoria nas contas da Funsaud, criada em 2015 para administrar a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e o Hospital da Vida.

Apesar de ser oficialmente autônoma, a Funsaud funciona como uma repartição sob o comando da Secretaria de Saúde, segundo a PF. "Quem escolhe o diretor da Funsaud é o secretário de Saúde. Existe sim uma vinculação", afirmou, no dia a operação, o delegado Denis Colares. (Campo Grande News)

 

Envie seu Comentário