MS

UFMS começa ano letivo entre obras, trotes e até ovos “apreendidos”

Em Mato Grosso do Sul, cinco mil alunos vão ingressar nos dez câmpus da universidade

18/02/2019 13h16 - Por: Folha de Dourados

 
Sob as ordens dos veteranos, calouros circulam pela UFMS. (Foto: Henrique Kawaminami) Sob as ordens dos veteranos, calouros circulam pela UFMS. (Foto: Henrique Kawaminami)

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Obras, aulas, trotes e movimento nos bares do entorno marcam a segunda-feira (dia 18) de início do ano letivo na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Calouros de Direito circulavam em fila dupla, com uma perna de cada colega atada com fita ou amarrada com cadarço, além de jeans pelo avesso. Num episódio visto pela reportagem, uma cartela de 30 ovos foi "apreendida" e depois liberada pela universidade, desde que não houvesse uso dentro da instituição.

Outras turmas andavam em fila indiana e com rostos pintados. Para os veteranos, a manhã era mais tranquila, com alunos espalhados por rodinhas de conversa. Leonardo Rocha, 19 anos, do quinto semestre de Engenharia de Computação, conta que o calendário está em dia, resultado de anos sem greve.

Depois de a UFMS romper o contrato com a empresa que atendia o Restaurante Universitário, a nova fornecedora é a Nutrir Refeições, que a partir de hoje vai servir almoço e jantar.

Os valores são R$ 2,50 para alunos de graduação da modalidade vulnerável, R$ 4,50 para os demais estudantes de graduação e R$6 para os alunos de pós-graduação. Os demais pagam tarifa inteira: R$ 7,50.

Conforme a universidade, a média diária, no ano passado, foi de mil refeições no almoço e 300 no jantar. O cardápio tem salada, prato com proteína, acompanhamento, opção ovolactovegetariana e sobremesa.

Nesta segunda-feira, o Restaurante Universitário ganhava os últimos retoques na reforma. As obras dão as caras por toda a instituição, com parte do corredor interditado e recapeamento de vias.

Fora da cidade universitária, muitos estudantes se concentram em bares na rua Montese, Vila Olinda. A região é conhecida pelas ações da polícia e reclamação de moradores sobre baderna e fechamento da rua no período noturno.

Em Mato Grosso do Sul, cinco mil alunos vão ingressar nos dez câmpus da UFMS, distribuídos em 116 cursos oferecidos pela instituição.

(Campo Grande News)

 

Envie seu Comentário