O boletim epidemiológico da covid-19 tornado público nesta quarta-feira (24) pela secretaria estadual de Saúde (SES) revela que Mato Grosso do Sul confirmou mais 95 novos casos da doença e mais uma morte no Estado.

Agora o Estado soma 378.359 infectados e tem média móvel de 96,6 e 1,4 mortes por dia, desde o surgimento da pandemia em março do ano passado.

Os dados do boletim têm mostrado um aumento na média móvel de casos no Estado. Enquanto a média atual é de 96,6 casos diários, a média de três semanas atrás era de 49 casos – um aumento de 97,14%. Ou seja, em três semanas a média móvel praticamente dobrou.

Na segunda-feira (22), a secretária Crhistinne Maymone já havia chamado a atenção para a escalada da doença. “A ciência já demonstrou que a vacina tem eficácia. Mas, se você demora, não toma 2ª ou a 3ª dose, os casos vão aumentar. Se você quer que mantenha a vida normal, tome a vacina”, orientou. 

Com novo óbito, o total de vítimas fatais em MS chega a 9.677 mortes desde o início da pandemia. A morte foi registrada em Anastácio, em um paciente de 75 anos com doença cardiovascular crônica.

A SES também destacou que MS já contabiliza um total de 1.104.633 casos notificados, dos quais 726.050 foram descartados. Há 121 testes em análise no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) e 103 casos sem encerramento pelos municípios.

Os novos casos trazem Amambai e Dourados à frente, com 15, seguidas por Anastácio (14), Sidrolândia (10), Tacuru (9), Corumbá (8), Itaporã (7), Três Lagoas (7), Caarapó (6), Maracaju (5), Sete Quedas (4), entre outros. Confira o boletim aqui. 

De 378.359 casos confirmados em MS, 367.702 pacientes se recuperaram. Em relação às internações, MS tem 65 pacientes internados. Destes, 37 estão em leitos clínicos (34  públicos e 3 privados) e 28 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), dos quais 25 estão em leitos públicos e três em privados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI públicos global nas 4 macrorregiões de MS é de: 55% em Campo Grande, 63% em Dourados, 43% em Três Lagoas e 47% em Corumbá.

Comentários do Facebook