Tá dito: “O ódio é uma tendência a aproveitar todas as ocasiões para prejudicar aos demais”. (Plutarco)

José Henrique Marques

Cutelo – Crescem as pressões em torno do prefeito Alan Guedes (PP) para que demita o jornalista Alfredo Barbara da chefia de Gabinete. A documentação levantada pela vereadora Lia Nogueira (PP) é robusta. No mínimo houve crime de favorecimento na ordem de R$ 800 mil entre os amigos. A demissão é necessária para que cessem a desconfiança de que o esquema foi transferido ou ampliado da Câmara para a Prefeitura. Na semana que vem, advogado da vereadora apresentará a denúncia e as provas ao Ministério Público Estadual.

Beleza – A Câmara Municipal de Dourados contratou escritório de contabilidade, sediado em Bonito, para prestação de serviços de assessoria contábil e parlamentar na Casa de Leis até 18 de maio de 2022 por R$ 264.000,00. É a segunda cidade mais importante de MS importando expertise da capital nacional do ecoturismo.

Passional – Com a cabeça inchada com tantos problemas que passam pela Secretaria de Governo, o secretário Henrique Sartori estaria de olho em sua verdadeira aptidão profissional: a Secretaria de Educação.

Passional 2 – Aliás, Sartori, que nada tem a ver com a suposta “farra da publicidade” na Câmara, precisa ficar esperto para não se envolver. Afinal, na Prefeitura ele é o ordenador de despesas da Comunicação. Fumaça já há: os tais “indicador econômico” e “notícias MS” andam mamando por lá.

Borrachudos – Será que os R$ 130 mil captados através de três cheques (dois de R$ 40 mil e um de R$ 50 mil) serão declarados no Imposto de Renda de figura política em ascensão (ainda) na política regional? 

Trapo – O investimento da ordem de R$ 100 mil feito pela ex-presidente da Câmara (2018-2019), Daniela Hall (PSD), para cortinar as dependências da Câmara de Dourados estão virando pano de chão. Sem manutenção, as cortinas estão despencando das janelas e das paredes do Legislativo.

Marcha lenta – Respondendo pergunta de leitora da Folha de Dourados sobre a vacinação em Dourados, o secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende disse o seguinte: “As doses estão em posse da Prefeitura Municipal. Enviamos ao município 109.068 doses. E foram aplicadas 73.262 até o momento. 67,17%”. Diga-se que “até o momento” refere-se ao início dessa semana, portanto, hoje não são esses números, mas é um indicador de que a imunização da população patina em Dourados.

Bucha – Sobre a proposta de transferir ao Governo MS a incompetência de Dourados em gerir a saúde, a Folha de Dourados fez, há 15 dias, as seguintes perguntas ao secretário Geraldo Resende: “O Estado considera a possibilidade de assumir o Hospital da Vida e a UPA? Quais seriam as condições? Há impedimentos? O prefeito já sinalizou que concorda? Na avaliação do senhor o que acontece em Dourados, quanto à crise na saúde?” De acordo com a assessoria, Geraldo aguarda um “embasamento técnico da drª. Christinne Maymone”.

Golpe – Sabe-se lá por quê o prefeito Alan Guedes (PP) ainda não desmentiu, publicamente, o factóide de que o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Sergio Murilo (Podemos), tenha exigido uma Secretaria na Prefeitura para o vereador Marcelo Mourão (Podemos). Leia aqui. Mas, é mentira. Alan disse a Marcelo que essa demanda jamais foi discutida entre ele e o secretário de Reinaldo Azambuja (PSDB). É intriga política.

R$ 800 mil, R$ 130 mil, MPE, golpes, cortinas, fumaça, Segov, marcha lenta e 'grávidos'
Na visita às obras do Governo do Estado em Dourados, o secretário Sergio Murilo virou alvo de intrigas políticas

Golpe 2 – No próximo 23 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6565, que deverá por fim à intervenção de Bolsonaro em 17 universidades, entre elas a UFGD. Quem representará os reitores eleitos é o escritório de advocacia do ex-ministro do STF, Ayres Britto. Há otimismo de que a Justiça cesse essa violência. A ADI dos Institutos Federais teve decisão favorável no Supremo e os reitores eleitos já foram empossados.

Grávidos – A administração do prefeito Alan Guedes (PP) expos, indevidamente, CPFs de 42 mil douradenses que tomaram a vacina contra a covid-19. Um prato cheio para a bandidagem. Alertado pelo site Douranews retirou do Portal Transparência o registro da Receita Federal. Mas, como incompetência pouca é bobagem, manteve os “grávidos” na listagem. É surreal!  

R$ 800 mil, R$ 130 mil, MPE, golpes, cortinas, fumaça, Segov, marcha lenta e 'grávidos'
Comentários do Facebook