Os últimos dias têm sido de sol escaldante e temperaturas acima dos 35 graus ainda pela manhã e, mesmo assim, muita gente esquece de usar protetor solar, um poderoso aliado na prevenção ao câncer de pele.

Existem dois tipos de câncer de pele: os não-melanoma e os melanomas. Os não-melanoma representam 94% do total dos casos de câncer de pele. Ambos estão ligados à exposição crônica ao sol em pessoas com mais de 50 anos e de pele e olhos claros. Quando tratados precocemente, podem chegar a  altos índices de cura.

Já o melanoma é menos frequente, de pior prognóstico e mais alto índice de mortalidade. Surge como uma pinta escura ou sobre uma pinta ou sinal pré existente que pode crescer, mudar de cor ou apresentar sangramento. Acometem pessoas de pele clara, que têm muitos sinais e história de familiares próximos acometidos por melanoma.

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), 8.450 pessoas poderão ter esse tipo de câncer no Brasil em 2020.

O câncer de pele não melanoma é o mais frequente e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado e tratado precocemente. Entre os tumores de pele, é o mais frequente e de menor mortalidade, porém, se não tratado adequadamente pode deixar mutilações bastante expressivas.

O INCA estima que, em 2020, cerca de 176.930 poderão ter esse tipo de câncer. Em Mato Grosso do Sul, estão previstos 3.490 casos. O HCAA – Hospital de Câncer Alfredo Abrão atende em média 80 pacientes por mês com essa neoplasia.

O Dr. Elcio Darlan Miranda, oncologista do HCAA, explica que “Muito se fala em câncer de mama, câncer de colo de útero, câncer de próstata, câncer de intestino e dos mais diversos tipos de câncer. Mas o mais frequente e muitas vezes neglicenciado, é o câncer de pele. Por ter uma mortalidade baixa, não é dada a devida atenção a ele, m pode causar sérios problemas e em alguns casos, até mesmo o óbito. Então, se você apresenta qualquer mancha ou nódulo na pele que chame a sua atenção, procure seu médico de confiança para o diagnóstico precoce e tratamento mais adequado”.

Prevenção é sempre o melhor caminho e, no caso, desse tipo de câncer é simples, mas precisa ser feita como uma rotina. Confira alguns procedimentos que devem ser observados diariamente:

Evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h;

Procurar lugares com sombra;

Usar proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas; 

Aplicar na pele, antes de se expor ao sol, filtro (protetor) solar com fator de proteção 15, no mínimo;

Usar filtro solar próprio para os lábios;

Hidratar-se.

Fique atento aos sinais na sua pele, manchas escuras e que aumentam de tamanho, ao perceber esses sintomas procure um médico imediatamente.

Comentários do Facebook