A principal maneira de não se equivocar é procurar por espécies que se adaptem bem aos locais fechados e com pouca incidência de luz
 

Muitos têm dúvidas na hora de construir ou reformar sobre quais plantas escolher para decorar o ambiente. Afinal, existe uma série de espécies que podem ou não se adaptar ao clima e ao local estipulado para elas.
 

As plantas no ambiente interno auxiliam na filtragem de impurezas do ar e auxiliam na liberação de oxigênio e partículas de água, o que auxilia na umidificação do ambiente. Em cidades em que a umidade relativa do ar é baixa, como por exemplo, Campo Grande, elementos que auxiliem na manutenção da qualidade ambiente são importantes em diversas épocas do ano e, principalmente, nos períodos prolongados de seca. A Organização Mundial da Saúde preconiza que a umidade relativa do ar (UR) deve ser superior a 60%.
 

As plantas também são ótimas aliadas na escala urbana, servindo de infraestrutura verde e auxiliando na drenagem das águas da chuva, minimizando os problemas com enchentes e alagamentos.
 

De acordo com Camila Amaro, arquiteta e professora do curso de Arquitetura da Uniderp, quando se fala de arquitetura, urbanismo e design de interiores, uma temática importante é o conforto ambiental, onde uma das vertentes é a parte térmica.
 

Ela acrescenta que uma estratégia bioclimática atrelada ao conforto da temperatura está no resfriamento evaporativo por meio da vegetação em ambientes internos e externos. O verde natural, proporciona a redução do calor e aumenta a umidade relativa do ar, além de ter a capacidade de remover o excesso de CO2.
 

As plantas também ajudam, por exemplo, a filtrar os poluentes do ar, estimulam o aprendizado, a concentração e a criatividade, controlam a umidade do ar e melhoram a qualidade da respiração. O interessante é decorar o ambiente com plantas de grande diversidade, assim é possível colocar uma espécie na sua sala, outra na cozinha, e assim por diante.
 

Quando se pensa em plantas, a primeira coisa que é preciso ter na cabeça é a necessidade do sol. Logo, é necessário ter um lugar próprio, arejado e que o sol faça presença.
 

Há espécies como as Calatheas que vivem muito bem na sombra e que inclusive ficam mais verdes quando não pegam sol.
 

“A cor verde tem o significado da esperança, liberdade, saúde e vitalidade. A tonalidade também simboliza a natureza, o dinheiro e a juventude. É a cor da natureza viva. Está associada ao crescimento, à renovação e à plenitude,” explica Camila.
 

Outra espécie é a Espada de São Jorge, muito querida pelos arquitetos. Há quem diga que ela é capaz de neutralizar as energias negativas da casa. Pode ser cultivada à meia sombra e ao sol direto, muito resistente tanto ao frio quanto ao calor.
 

Para aqueles que gostam de plantas penduradas, a Hera Inglesa é uma planta trepadeira que lembra as folhas de uva. Vão bem em qualquer estação do ano e precisam de xaxim.
 

A Samambaia de Boston sempre combina com uma boa estante de livros. Ela é considerada uma das melhores plantas para a purificação do ar. Pode ser plantada em vasos ou direto no solo. Necessita de meia sombra, mas com proteção.
 

A Jiboia é linda para decorar e sempre percorre espaços com facilidade. Plantada principalmente em xaxim, ela pede meia sombra ou sol direto. É interessante regá-la duas vezes por semana. Já a Babosa pode ser plantada em terras com baixa fertilidade e, com isso, se adapta bem a qualquer vaso.

Comentários do Facebook