A Prefeitura de Dourados informou à diretora regional do Sesc em Mato Grosso do Sul, Regina de Fátima Freitas Carvalho Ferro, que não tem mais interesse em participar do Programa Mesa Brasil, que em março deste ano distribuiu, entre Campo Grande e Dourados, cerca de 166 toneladas de alimentos a 30.321 pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A confirmação foi feita, no começo do mês passado, pela representante do Sesc de Dourados, Michelly Andressa Marin, durante participação na reunião ordinária dos membros do Comsea (o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional) para avaliação das políticas sociais desenvolvidas pela atual administração.

Michelly disse que a Semas (Secretaria municipal de Assistência Social) pediu para não receber mais alimentos do Mesa Brasil, justificando que muitas vezes chegam alimentos impróprios para o consumo e que estes eram entregues fora do horário de funcionamento dos Cras, os Conselhos de Assistência Social.

“Todos os alimentos são inspecionados antes de serem entregues”, garantiu a titular do Sesc de Dourados, pedindo que o Conselho solicite da secretária Elizete Ferreira Gomes de Souza que se manifeste oficialmente sobre esta negativa. Em reunião anterior do Conselho, mesmo convocada, a secretária se recusou a participar para prestar informações sobre os programas sociais do Município.

Fome é urgente

Também integrante do Comsea, a diretora da Semaf (Secretaria municipal de Agricultura Familiar) Kallen Christiany Miranda Ferreira disse, no encontro, que talvez a resistência da Assistência Social em contribuir com o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) esteja relacionado a “experiências negativas anteriores”, conforme consta da Ata da Reunião Ordinária do dia 9 do mês passado, publicada na edição desta segunda-feira (3) do Diário Oficial do Município.

O Mesa Brasil do Sesc conseguiu distribuir 126 toneladas de produtos alimentícios em janeiro, subiu para 134 toneladas no mês de fevereiro, beneficiando mais de 29.600 pessoas em situação de vulnerabilidade, por meio de 96 entidades assistenciais. E em março, mesmo com os decretos restritivos para contenção da pandemia, totalizou, entre Campo Grande e Dourados, 166 toneladas de alimentos distribuídos a 30.321 pessoas.

Em Dourados, na gestão do ex-prefeito Murilo Zauith, o Mesa Brasil chegou a atender, sistematicamente, ao menos uma vez na semana, em torno de 45 instituições sociais (creches, escolas, orfanatos, asilos, casas de apoio, comunidades terapêuticas, casas de saúde, etc.), beneficiando uma média de 8 a 10 mil pessoas por mês.

A presidente do Conselho, Caroline Camila Moreira, representante da UFGD no colegiado, lamentou que questões burocráticas e de logística “estejam inviabilizando a mitigação da fome das famílias em vulnerabilidade social, especialmente considerando o atual cenário de calamidade pública em decorrência da pandemia”. Disse que o Conselho monitora e vai cobrar resolutividade na distribuição dos produtos do PAA, “porque a fome é uma questão urgente”. (Do Douranews)

Comentários do Facebook