Os moradores do Residencial Itaju 2, inaugurado há 12 anos no Parque Alvorada, são vítimas de dois problemas crônicos: a falta de consciência ambiental das pessoas e a ausência do Poder Público, principalmente da Prefeitura de Dourados.

Ocorre que área nos fundos do Residencial vem servindo ao longo dos anos de descarte de lixo doméstico, entulhos e animais mortos, causando desconforto e ameaçando a saúde e a vida dos moradores com o aparecimento de animais peçonhentos, baratas, ratos enfim.

Preocupados com a situação, no final do ano passado os moradores se cotizaram e pagaram R$ 3 mil pela limpeza do terreno. Mas, passados quatro meses a situação voltou a ser a mesma: lixo acumulando e o matagal crescendo.

“Não temos condições de manter a área limpa, pois tem custos e não temos recursos financeiros. Além disso, fiscalizar e fazer a limpeza das vias é obrigação da Administração Municipal”, disse um morador à Folha de Dourados.

Comentários do Facebook