Pré-candidato da oposição, Ewerton Araújo de Brito fala sobre os desafios de devolver o protagonismo à 4ª Subseção da OAB em Dourados - Foto: divulgação

Advogado e professor universitário é aposta do grupo de oposição à atual diretoria para resgatar o protagonismo que a Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil sempre teve em Dourados

O advogado e professor universitário Ewerton Araújo de Brito foi o nome escolhido como pré-candidato da oposição à presidência da 4ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Dourados/Itaporã. A eleição acontecerá em novembro, porém, as mobilizações dos pré-candidatos já começaram. A oposição acredita que o advogado, que tem uma ampla folha de trabalho em defesa da advocacia, é o nome ideal para resgatar o protagonismo da 4ª Subseção, que nos últimos três anos ficou vinculada às questões políticas-eleitorais, com seu presidente participando diretamente do governo Délia Razuk e agora servindo ao gabinete do deputado estadual Neno Razuk, na Assembleia Legislativa.

Esse vínculo político da atual diretoria da OAB Dourados tirou a independência da 4ª Subseção, que não teve como reagir diante dos seguidos escândalos de corrupção que atingiram o município nos últimos anos. Nem poderia ser diferente, já que a quase totalidade dos integrantes da atual diretoria estava nomeada em cargos de comissão no Poder Executivo e no Poder Legislativo, ferindo de morte a independência da Ordem.

A pré-candidatura de Ewerton Araújo de Brito é a única de oposição em Dourados. Além do aval de ex-presidentes da 4ª Subseção e dos advogados que não sentiam-se representados pela atual diretoria, o nome do professor universitário também tem ganhando força junto à nova advocacia e, principalmente, perante parte dos advogados que somaram com a atual diretoria da OAB Dourados/Itaporã e acabaram frustrados com o desempenho do comando local da Ordem.

CONHEÇA EWERTON

Casado com Ana Cristina da Silva Brito, é pai de Ana Carolina da Silva Brito (14 anos) e Heitor Silva de Brito (8 anos), Ewerton Araújo de Brito nasceu em 04/03/1982, na cidade de Fátima do Sul. Os pais mudaram para Dourados quando ele tinha apenas 3 anos de idade. Filho de Antônio Aparecido de Brito, policial civil aposentado e Ana Maria Araújo de Brito, funcionária pública municipal.

Cursou o primeiro e segundo graus na Escola Estadual Antônia da Silveira Capilé e começou a trabalhar muito cedo, com apenas 12 anos de idade como office boy. Embora tivesse o sonho de cursar Direito, tendo em vista a situação financeira que não permitia, em 2001 iniciou o curso superior de Administração Rural, pois era o mais barato, e que possuía uma grade mais compatível com Direito para uma possível mudança.

No mesmo ano conseguiu ser aprovado para fazer o Curso de Oficiais do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva do Exército Brasileiro. Foi o 1º colocado no curso, depois 1º colocado no Estágio de Instrução, por fim 1º colocado no Estágio de Preparação de Oficiais Temporários. Este desempenho fez com que fosse convocado para uma vaga como Tenente do Exército Brasileiro em 2003.

Ao se tornar Tenente do Exército, passou a ter condições de pagar o curso de Direito, assim fez novo vestibular e passou a estudar o curso que almejava, se formando em 2006 na Unigran. Como acadêmico, seu desempenho permitiu que já no 4º ano fosse selecionado para monitor de Direito Penal, prosseguindo na função de professor depois de formado, nas disciplinas de Processo Penal e Prática Penal, onde leciona até hoje.

Cursou pós-graduação na própria Unigran, terminando o curso em 2009 e Mestrado de Direito Processual e Cidadania, pela Universidade Paranaense – UNIPAR, formando-se em 2014. É advogado militante em Dourados desde o ano de 2009, quando deu baixa das fileiras do Exército, sendo atualmente sócio do escritório Azuma Brito Dehn Advocacia.

Desde o início da sua advocacia se envolveu em política e gestão de Ordem, exercendo diversos cargos, dos quais teve destacada atuação como Conselheiro da Subseção em Dourados, Presidente da Comissão de Defesa da Ética e do Patrimônio Público e Presidente da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Advogados.

Leia a entrevista com Ewerton Araújo de Brito:

Quais são seus objetivos à frente da OAB de Dourados/Itaporã?

Temos uma grande missão, mas posso destacar alguns objetivos: 1-) Vamos resgatar o trabalho que foi feito por gestões anteriores como do Dr. Felipe Azuma e do Dr. Fernando Duque Estrada, onde tínhamos uma gestão que promovia eventos de formação, congressos, eventos sociais e recreativos, além de promover projetos de valorização dos advogados; 2-) Vamos resgatar a dignidade e o respeito dos advogados pelas instituições: assim como fizemos quando era Presidente da Comissão de Prerrogativas, pretendemos ouvir os advogados para saber todos os problemas que enfrentam no dia-a-dia, e se fazer presente nas instituições para dialogar e defender que os advogados sejam bem atendidos e seus direitos respeitados. Pretendo falar com todos os órgãos do judiciário, do Ministério Público, Delegacias, etc; 3-) Iremos trabalhar para oxigenar a OAB, trazendo novos advogados para dentro da gestão para ajudarem e aprenderem a construir uma boa gestão para que venha nascer novas lideranças; 4-) Vamos resgatar o prestígio e o papel de protagonista na sociedade douradense: a OAB deveria estar como protagonista, encabeçando diversas frentes como defensora da sociedade. Estamos passando por um momento delicado não só em Dourados, mas no mundo todo, e não vemos a OAB de Dourados sequer participar de nada. Temos que estar a frente destes embates, buscando soluções e cobrando a administração pública; 5-) Juntos, iremos promover eventos e debates de temas que são de extrema importância na atualidade para os advogados, trazendo pautas como: direitos das mulheres advogadas, o papel da tecnologia na nova advocacia, marketing digital, entre outros.

Como o senhor pretende tirar essas propostas do papel para atender todos os advogados?

Primeiro destaco que temos independência, sou advogado militante, não ocupo função pública e nem tenho ligação umbilical na política partidária, assim tenho condições de cobrar quem deve ser cobrado. Segundo, venho me preparando tanto na vida pessoal quanto profissional para este momento, além de ter exercido diversas funções que me deram a experiência necessária para isto. Terceiro, tenho vontade de trabalhar e fazer o melhor pela advocacia douradense, juntamente com o grupo que me apoia.

A que o senhor atribui o fato do seu nome estar sendo tão bem aceito pelos advogados neste momento de pré-candidatura?

Independente das propostas apresentadas, pois sabemos que o adversário também irá ter boas propostas, acredito que as pessoas olham muito para a pessoa do candidato. Os advogados de Dourados sabem da minha história, da minha índole, e dos trabalhos que já ajudei a realizar, e mais ainda, do meu perfil combativo e independente. Agradeço a todos que estão me apoiando e estão encampando este projeto, isto aumenta ainda mais minha responsabilidade de sagrando-se vitorioso fazer um excelente trabalho. Aproveito para convidar os advogados que queiram fazer parte deste projeto a se juntar a nós, temos espaço para todos que realmente querem ajudar a construir uma OAB forte.

O senhor é candidato à presidência a 4ª Subseção de Dourados/Itaporã. Quem o senhor vai apoiar na disputa pela presidência da Seccional?

“Apoiamos o Luis Cláudio Bitto pois sem dúvida ele também tem uma linda história de luta pala advocacia, é o mais preparado e com condições de realizar um excelente trabalho. Por fim sabemos da importância de ganharmos aqui e na estadual para podermos estar alinhados em busca de melhores condições para os advogados. Então é Brito e Bitto.

Comentários do Facebook