As forças de segurança de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná deflagraram, simultaneamente, nesta quinta-feira (29), a “Operação Divisas Integradas III”. A ação, que estabelece um marco de integração e parceria entre as polícias dos quatro Estados, tem como objetivo reforçar as atividades de combate ao crime organizado e ao narcotráfico.

Cerca de 20 mil policiais de todos os estados participantes, agentes do Exército Brasileiro, da Marinha e demais órgãos federais estão empenhados nos trabalhos, que tiveram início preliminar no último sábado passado (24). As ações preventivas, ostensivas e para cumprimento de mandados judiciais, são realizadas ao longo das divisas das unidades federativas. Para isso, são empenhadas 6.770 viaturas, 17 aeronaves, 17 drones, 142 cães e 91 embarcações.

Participam da operação as secretarias estaduais de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) e do Paraná (SSP-PR) e as Secretarias de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais (Sejusp-MG) e do Mato Grosso do Sul (Sejusp-MS), as respectivas polícias Militar, Civil e Técnico Científica, bem como o Corpo de Bombeiros Militar e Departamentos de Inteligência.

No âmbito federal, estão integrados o Exército Brasileiro, a Marinha do Brasil, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Federal e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

SÃO PAULO – Os trabalhos, com início preliminar no último sábado (24), são realizados nos limites das unidades federativas, sendo que, em relação a Minas Gerais e ao Paraná, as atividades acontecem nas meias divisas, compreendendo as regiões do Triângulo Mineiro e do Noroeste Paranaense.

Integram as atividades batalhões territoriais sediados nas regiões envolvidas, assim como os comandos de Policiamento de Choque (CPChq), Ambiental (CPAmb), Rodoviária (CPRv), o Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAe) e o Corpo de Bombeiros.

Ainda em São Paulo, participam os departamentos estaduais de Investigações Criminais (Deic) e de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc); os departamentos de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), de Operações Policiais Estratégicas (Dope) e de inteligência da Polícia Civil (Dipol); além dos departamentos de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e das regiões de Ribeirão Preto, Bauru, Rio Preto, Presidente Prudente, Piracicaba e Araçatuba.

PARANÁ – Pela Polícia Militar do Paraná, além dos batalhões de área, atuam as equipes do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), do Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV), do Batalhão de Operações Aéreas (BPMOA), do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), do Batalhão de Fronteira (BPFron), do 2º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pelo Norte Pioneiro e Norte do Paraná, e do 3º Comando Regional da Polícia Militar, responsável pela região Noroeste do Estado.

Pela Polícia Civil do Paraná participam efetivos da 7ª, 8ª, 9ª, 14ª, 19ª, 20ª, e 22ª Subdivisões Policiais, além da atuação do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Núcleo de Operações com Cães (NOC), da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e do Grupamento de Operações Aéreas (GOA).

MATO GROSSO DO SUL – Participam servidores e policiais das instituições que compõem a estrutura da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp/MS), que atuam no Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas (GGI-FRON-DIV), no Departamento de Operações de Fronteira (DOF), Coordenadoria Geral de Perícias (CGP), Coordenadoria Geral de Policiamento Aéreo (CGPA), nas unidades da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar, da Polícia Civil – entre elas a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron).

Também auxiliam na Operação a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz/MS), a Polícia Militar Rodoviária Federal e a Receita Federal do Brasil.

Estão sendo empregados nas ações da Operação Divisas Integradas III em Mato Grosso do Sul, 837 policiais e servidores, 221 viaturas, 2 aeronaves – sendo 1 da Sejusp/MS e outra da Receita Federal, 3 drones, 6 cães farejadores e 6 embarcações.

MINAS GERAIS – Dentre os órgãos mineiros envolvidos estão a Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal, servidores do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, servidores da Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase) e da Secretaria de Estado da Fazenda e Ministério Público (MPMG).

A Polícia Federal disponibiliza ainda pessoal e equipamentos do Grupo de Bombas e Explosivos para a fiscalização de armamentos, explosivos e materiais controlados, como nitrato de amônia. Além disso, está previsto o fomento à resolução de crimes notificados por meio do Disque Denúncia 181.

Comentários do Facebook