Caso Miguel

Caso Miguel: MP denuncia Sari Corte Real por abandono de incapaz

Promotor ainda incluiu artigos do Código Penal "que agravam as penas por ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública"

14/07/2020 16h53 - Por: Folha de Dourados

 
(Foto: Reprodução/RedeTV News) (Foto: Reprodução/RedeTV News)

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

O Ministério Público de Pernambuco denunciou, nesta terça-feira (14), a ex-patroa do menino Miguel, que caiu do nono andar de um prédio de luxo de Recife, por abandono de incapaz com resultado de morte. Sari Corte Real ficou cuidando da criança de 5 anos quando a funcionária passeava com o cachorro da família no começo de junho deste ano.

Em nota, o MP afirmou que denunciou a primeira-dama de Tamandaré, "por meio do promotor de Justiça criminal Eduardo Tavares, (...) por abandono de incapaz com resultado de morte, combinado com o art.61, inciso II, alíneas "h" e "j", do Código Penal brasileiro, que agravam as penas por ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública."

Manifestação

Familiares do menino Miguel fizeram na segunda-feira (13) uma manifestação no centro da capital pernambucana. Parentes, amigos e integrantes de movimentos sociais caminharam pela manhã para pressionar o Ministério Público de Pernambuco a fim de acatar a denúncia da Polícia Civil em torno da morte da criança.

No inquérito assinado pelo delegado Ramon Teixeira, Sari Gaspar Corte Real, ex-patroa da mãe de Miguel, foi indiciada por abandono de incapaz com resultado morte. Esse crime prevê prisão de quatro a 12 anos.

(Redação/RedeTV!)

 

Envie seu Comentário