Mato Grosso do Sul

MS: Polícia registra mais um anúncio de massacre em escola, o 4º caso

Deborah Dal Moro, 40, diretora da Escola Estadual Lucia Martins Coelho, em Campo Grande, procurou a polícia após identificar uma rede wi-fi que anunciava um "massacre" a ser realizado na escola

31/03/2019 09h33 - Por: Folha de Dourados

 
Uma das redes está identificada como Uma das redes está identificada como "massacre L.M.C 14:22" (Foto: Direto das Ruas)

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Rede wi-fi anunciava ataque para às 14h22 de sábado (30) e assustou professores e diretora; Pelo menos três escolas de Mato Grosso do Sul ficaram em alerta com ameaças na última semana

Deborah Dal Moro, 40, diretora da Escola Estadual Lucia Martins Coelho, em Campo Grande, procurou a polícia após identificar uma rede wi-fi que anunciava um "massacre" a ser realizado na escola. Ela registrou boletim de ocorrência por ameaça no sábado (30) na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Segundo o registro, as aulas ocorriam de forma normal no sábado, mas dois professores buscaram sinal de wi-fi e viram o aviso de uma rede identificada como "MASSACRE L.M.C 14:22". Um dos professores afirma que enquanto andava pelos corredores da escola, o sinal wi-fi ficava mais forte.

Alunos que também viram o nome da rede ficaram assustados, mas foram tranquilizados pela diretora e professores que buscaram a polícia. Segundo o boletim, não foi possível identificar a origem da rede.

Ameaças e trotes – Desde que a Escola Estadual Raul Brasil foi alvo de ataque por dois ex-estudantes no dia 13 de março, em Suzano (SP), deixando cinco estudantes e duas professoras mortos, escolas em todo o Brasil têm sido alvo de anúncios de novos massacres, a maioria, "trotes".

Pelo menos três escolas de Mato Grosso do Sul ficaram em alerta, nesta quinta-feira (28), após os diretores detectarem mensagens que circulavam na internet indicando a realização de um "massacre" com hora marcada. Redes de roteadores de Wifi tiveram seus nomes alterados e indicavam que o crime seria cometido às 14h30. O caso foi registrado em duas unidades de ensino da Capital e uma de Dourados - a 233 quilômetros de Campo Grande.

Em uma delas, a Escola Estadual Professor Emygdio Campos Vidal, no bairro Vila Boas, em Campo Grande, foi necessário a mobilização de uma equipe da Ronda Escolar da Polícia Militar.

As três ocorrências ainda estão sendo investigadas, mas para a polícia, a principio, tudo não tenha passado de "uma brincadeira de mau gosto". Segundo apurado pela reportagem, ao menos nas escolas da Capital, os estudantes seriam submetidos a avaliações didáticas na tarde hoje. Ainda não se sabe se estudantes tenham aproveitando da situação para adiar as provas. (Campo Grande News)

 

Envie seu Comentário