Diz estudo

98% das escolas de MS têm acesso à internet; alta cobertura minimiza desigualdades do setor

22/07/2020 06h28 - Por: Folha de Dourados

 
Foto: Fernanda Carvalho Foto: Fernanda Carvalho

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Em Mato Grosso do Sul, 98% das escolas de ensinos fundamental e médio possuem acesso à internet. O percentual de infraestrutura tecnológica é o segundo melhor do Brasil, conforme mostra o Censo Escolar de 2019 sobre escolas federais, estaduais, municipais e particulares. O Estado fica atrás somente do Distrito Federal, que também possui 98% de cobertura.

Das 1.204 escolas de ensino fundamental e médio do Mato Grosso do Sul, apenas 22 não tem ligação com a rede mundial de computadores. No Distrito Federal a proporção é de 907 escolas conectadas para 20 sem conexão. Na outra ponta da pirâmide está o Acre, com 27% de cobertura - 378 colégios com internet contra 1.028 sem.

"A educação é para todos e a conectividade também deve ser. Por isso, é necessário investir cada vez mais na infraestrutura tecnológica de maneira geral, para que os alunos possam estar conectados. Tendo a tecnologia em mãos, o estudante tem mais oportunidades", fala a secretária de Educação de MS, Maria Cecília Amendola da Motta.

Os dados sobre a infraestrutura tecnológica das escolas brasileiras, juntos de informações sobre saneamento básico nos colégios, serviram de objeto de pesquisa para o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) entender melhor as desigualdades no sistema educacional do País durante a pandemia de Covid-19.

Intitulado de "A infraestrutura sanitária e tecnológica das escolas e a retomada das aulas em tempos de Covid-19", o estudo revela que a desigualdade no setor educacional brasileiro não será resolvida com o retorno às aulas, uma vez que os protocolos de prevenção preveem o rodízio de alunos, com parte assistindo às aulas presencialmente e parte remotamente.

Confira o estudo na íntegra:

https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/200715_nt_diset_n_70_web.pdf

 

Envie seu Comentário