Mato Grosso do Sul

Energisa diz não ter como avisar consumidor de MS sobre uso de energia acima da média

Empresa aponta que não tem com fazer o alerta porque a leitura dos aparelhos que medem o uso é feita somente uma vez por mês

24/01/2019 09h24 - Por: Folha de Dourados

 
O coordenador comercial da Energisa, Jonas Ortiz Rudis — Foto: Reprodução/TV MorenaO coordenador comercial da Energisa, Jonas Ortiz Rudis — Foto: Reprodução/TV Morena

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

A concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica a 74 municípios de Mato Grosso do Sul, a Energisa, afastou a possibilidade de avisar com antecedência o consumidor sobre quando o consumo residencial ultrapassar a média mensal.

Esse aviso foi uma das sugestões apresentadas pelos Procons estadual e municipal, Ministério Público, Defensoria Pública, Delegacia do Consumidor e Inmetro, como uma medida que poderia ser utilizada para que o consumidor não se surpreendesse com o valor a ser pago quando a fatura chegar.

Neste início de ano os Procons estão recebendo várias reclamações de consumidores sobre aumentos que eles consideram abusivos no valor das faturas. A empresa aponta que houve um crescimento do consumo, em razão do forte calor, e que o uso maior provocou também mudanças nas alíquotas de impostos que incidem sobre o serviço.

O coordenador comercial da Energisa, Jonas Ortiz Rudis, explicou em entrevista ao Bom Dia MS desta quinta-feira (24), que a empresa não tem com fazer o alerta ao consumidor porque a leitura dos aparelhos que medem o uso é feita somente uma vez por mês. "O leiturista passa em períodos mensais, então nós só saberemos o consumo quando ele passar e fizer o registro", explica.

Rudis orientou, entretanto, que o próprio consumidor pode monitorar seu gasto de energia elétrica, fazendo leituras diárias e comparando a diferença, entre um dia e outro.

O coordenador comercial diz que em razão da grande demanda provoca pelo questionamento das variações de consumo, que a empresa colocou em prática um plano de contingência, em que direciona um número maior de profissionais e equipes para atendê-la, seja no call center, nas agências e nas verificações em campo. "Reclamações ou questionamentos podem ser feitos pelo telefone, no call center. Já o parcelamento tem de ser feito presencialmente", orientou.

Para os clientes que tiveram uma variação de consumo muito acima da média mensal na fatura de dezembro e que não tem histórico de irregularidades com a empresa, Rudis comenta que está sendo oferecida a possibilidade de parcelamento da fatura. "Vamos avaliar caso a caso e podemos chegar ao parcelamento de até 4 vezes", concluiu. (G1)

 

Envie seu Comentário