REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Economia projetada é de 1/3 do déficit do INSS, indicam dados

No entanto, o valor da economia projetada com a reforma ainda não está definido. Segundo informações da Secretaria Especial de Previdência do Ministério da Economia, o déficit (despesas maiores que as receitas) do INSS deve atingir R$ 3,1 trilhões nos próximos dez anos.

15/02/2019 06h46 - Por: Folha de Dourados

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Redação/RedeTV! com Agência Brasil

Dados divulgados pelo Ministério da Economia sinalizam que a economia de R$ 1 trilhão em 10 anos (2020-2029) desejada pela equipe do ministro Paulo Guedes com a reforma da Previdência retrata menos de um terço do déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) avaliado para o período.

No entanto, o valor da economia projetada com a reforma ainda não está definido. Segundo informações da Secretaria Especial de Previdência do Ministério da Economia, o déficit (despesas maiores que as receitas) do INSS deve atingir R$ 3,1 trilhões nos próximos dez anos.

Ao sugerir a reforma, o governo não pretende zerar o déficit previdenciário, mas diminuir o prejuízo calculado para os próximos anos. No ano passado, o déficit nas contas do governo contabilizou R$ 120 bilhões, estimulado pela previdências.

Nesta quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica do governo decidiram que a proposta de reforma da Previdência fixará uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e 62 anos para mulheres, com um período de transição de 12 anos. A proposta de reforma do sistema previdenciário deve ser encaminhada ao Congresso na próxima quarta-feira (20), segundo informações do secretário especial da Previdência, Rogério Marinho.

A reforma da Previdência precisa ser votada em dois turnos na Câmara e depois no Senado, com apoio de no mínimo dois terços dos deputados e dos senadores em cada votação.

 

Envie seu Comentário