Eleições Municipais

Executiva do PSDB vai a Campo Grande defender candidatura de Valdenir

07/07/2020 16h37 - Por: Folha de Dourados

 
Reunião da Executiva do PSDB que deliberou pela candidatura de Valdenir MachadoReunião da Executiva do PSDB que deliberou pela candidatura de Valdenir Machado

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

José Henrique Marques

A máxima da saudosa "raposa" mineira Magalhães Pinto de que "Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Você olha de novo e ela já mudou" ficou comprovada, máxima uma vez, na semana passada em Dourados quando o deputado estadual Marçal Filho, do PSDB, anunciou que não disputará a sucessão da prefeita Délia Razuk (PTB), embora liderasse com folga todas as pesquisas.

Marçal, a bem da verdade, jamais declarou publicamente que seria candidato. O impasse incomodava os tucanos douradenses que precisam de um puxador de votos para defender o legado do governador Reinaldo Azambuja e, assim, eleger uma representativa bancada de vereadores – hoje são quatro, três dos quais disputarão à reeleição. A indefinição era acompanhada minuto-a-minuto também pelos adversários temerosos em enfrentar o radialista bom de voto.

Nos bastidores de Campo Grande e de Dourados corriam e correm soltas teses de que o Governo trabalharia por uma candidatura única em Dourados e que o ungido sairia da Assembleia Legislativa entre Marçal, José Carlos Barbosinha (DEM) e Renato Câmara (MDB), com o secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende (PSDB) correndo por fora.

Com os dois tucanos fora da disputa [Marçal recuou e Geraldo teve o prazo de desincompatibilização prescrito pela PEC que adiou as eleições para 15 de novembro], o PSDB de Dourados ficou "a pé" e a pressão dos vereadores e pré-candidatos sob a Executiva foi às alturas.

Convocada pelo presidente do diretório municipal, o ex-deputado Valdenir Machado, a Executiva esteve reunida na tarde de sexta-feira passada (03). Participaram, além de Valdenir, os vereadores Silas Zanata, Denise Portelan, Idenor Machado e Sergio Nogueira, além dos vogais Wanderley Escobar de Oliveira e Walter Hora, substitutos de Marçal e Geraldo, que embora convocados não compareceram.

No debate, os dirigentes acordaram sobre a necessidade de manter candidatura própria à Prefeitura e refutaram o papel coadjuvante num eventual "chapão" entre as forças da base de apoio de Reinaldo na Assembleia. Seria temeroso na formação de bancada na Câmara e também para as eleições de 2022 na provável defesa da candidatura do secretário de Governo Eduardo Riedel ao governo de Mato Grosso do Sul.

E coube, então, a Sergio Nogueira a iniciativa de lançar o nome de Valdenir Machado à sucessão de Délia Razuk. A proposta voltou à tona no dia seguinte, na manhã de sábado, também na sede do diretório, em reunião com os pré-candidatos a vereador. A pré-candidatura do ex-deputado foi aprovada por ampla maioria. À tarde, como um rastilho de pólvora o "fato novo" estava estampado nos sites de Dourados e Campo Grande.

Político identificado com o povão e com "um grande exército político", como escreveu ontem (06) o jornalista Valfrido Silva (leia aqui), e sem mácula em seu currículo, o telefone dele recebeu algumas dezenas de ligações no domingo e na segunda-feira.

No final da tarde desta terça-feira (07), no Diretório Regional o cenário político-eleitoral de Dourados e uma possível candidatura de Valdenir Machado será debatida em reunião do presidente Sergio de Paula e com as executivas de MS e de Dourados do PSDB.

Envie seu Comentário