Artigo

Fé e ação em 2019

20/12/2018 07h34

Fé e ação em 2019

Por: Folha de Dourados
 

Wilson Aquino*

Dezembro certamente é o mês mais sagrado da humanidade. É nele que a maioria dos joelhos se dobra em humildade e oração a Deus por um ano novo muito melhor e cheio das tão sonhadas e desejadas realizações. E como é nesse período também que ocorre um balanço natural que todos fazemos, sobre o que alcançamos ou não das metas estabelecidas há 12 meses atrás, oportuno então algumas reflexões e orientações para que tenhamos mais êxito no futuro.

O Senhor, por intermédio das Escrituras Sagradas, pacientemente nos ensina e orienta que devemos, todos os dias, em atos e oração, reconhecermos que absolutamente tudo depende Dele. Ao mesmo tempo, de nossa parte, precisamos trabalhar e agir como se tudo dependesse de nós, pois existe uma errônea ideia de que se orarmos e entregarmos a Ele o que estamos pedindo, então podemos simplesmente cruzarmos os braços e esperarmos as bênçãos. Ledo engano, pois a fé sem ação, de fato, é morta.

Esse princípio serve para nos alicerçar durante todo o ano e nos ajudaria a materializarmos essas metas que estamos estabelecendo na passagem de um novo ano, como agora. Ou seja, podemos e devemos estabelecer metas para serem cumpridas e alcançadas em 2019. Mas, de nada valem apenas elencarmos e orarmos. É necessário que acionemos esse outro instrumento, importantíssimo nesse processo, que é a ação de nossa parte, a luta pela materialização dos nossos sonhos e desejos.

É preciso que ao elencarmos objetivos pessoais, nos conscientizemos disso, ou seja, de que será necessário muito esforço, muito trabalho para alcançarmos a vitória.

Na prática, por exemplo, quando planejamos voltarmos a estudar no próximo ano, tenhamos certeza de que inúmeros obstáculos, físicos e mentais, surgirão para nos forçar a desistir, se possível, antes mesmo de começarmos.

E mesmo quando nos esforçamos e começamos a trilhar o caminho da materialização de um sonho, não nos iludamos, pois de tempos em tempos surgirão novos desafios para tentar nos derrubar. Precisamos ser conscientes dessas coisas e termos muita força de vontade, alicerçada em Deus, para nos ajudar a nos mantermos firmes.

Precisamos sempre, fazer a nossa parte para que Deus possa fazer a Dele, com Suas bênçãos, Sua proteção, para que sigamos em frente, determinados e de cabeça erguida.

O Senhor, também por intermédio das Escrituras, nos ensina isso, de que devemos primeiramente fazermos o melhor que pudermos e orar. Só depois disso Ele age.

Analisemos algumas passagens Bíblicas que comprovam isso: "Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos que eu vos aliviarei". Observe que é preciso "irmos a Ele".

Outra passagem: Quando Jesus Cristo chegou à casa de seu amigo Lázaro, que havia morrido e sepultado há alguns dias, Ele chegou diante da sepultura e mandou que as pessoas retirassem a enorme pedra que fechava o local, para só então fazer o milagre da ressureição. Observe que as pessoas tiveram que "tirar a pedra".

Quando os apóstolos de Cristo passaram a noite tentando pescar algum alimento, frustrados retornavam quando avistaram O Mestre que lhes pediu que jogassem a rede do outro lado do barco. Assim o fizeram e pegaram um grande cardume. Da mesma forma, observe que os apóstolos tiveram que "jogar a rede".

O Senhor nos ensina como alcançarmos sucesso nas coisas que fazemos. Precisamos Acreditar Nele e procurarmos seguir seus mandamentos, sermos bons cidadãos, honestos e bondosos com nosso próximo. Ele nos dá forças para trilharmos o caminho, enfrentarmos os obstáculos, e alcançarmos a vitória.

E que não sejamos ingratos como o personagem bíblico, o rei Asa, rei de Judá, que louvou e enalteceu o nome de Deus e fez um bom governo por décadas, em paz, sem guerra, até que se voltou contra as coisas do Senhor. Caiu doente de seus pés, "a sua doença era em extremo grave; contudo, na sua enfermidade, não buscou ao Senhor, mas antes os médicos. E Asa dormiu com seus pais e morreu no ano quarenta e um do seu reinado" (II Crônicas 16). Observe que se ele tivesse a humildade e a fé de orar a Deus, seu fim certamente seria diferente.

Que 2019 e todos os outros anos que virão sejam bons para todos e que as pessoas tenham muito mais amor e fé em Deus e deem o melhor de si para isso.

*Jornalista, Professor e Cristão SUD

 

Envie seu Comentário