Entrevista

Presidente do IDT-CEMA apresenta números alarmantes no setor do turismo

Segundo o presidente Bruno Omori, "Só na pandemia, zerou, praticamente o turismo no mundo. Só na hotelaria, o estado de São Paulo tem pelo menos 85% dos hotéis fechados.

08/07/2020 15h55 - Por: Folha de Dourados

 

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Em uma entrevista, o presidente do Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDT-CEMA) afirma que o setor de turismo do nosso país se encontra em uma situação alarmante, com um prejuízo que chega aos 70% a 80%, quando comparamos ao ano passado. Com o resto do mundo não é diferente: em 2019, ao menos 1,5 bilhões de pessoas viajaram pelo mundo, gerando pelo menos $1,8 trilhões somente no mercado de exportação. Segundo o presidente Bruno Omori, "Só na pandemia, zerou, praticamente o turismo no mundo. Só na hotelaria, o estado de São Paulo tem pelo menos 85% dos hotéis fechados. [...]

De 1,8 trilhões de dólares de exportações, pode chegar a 200 milhões no final do ano".

Ele ainda afirma ser o pior momento da história para o setor, apresentando dados da situação atual enquanto ressalta a importância de alguns segmentos para contribuir na melhora da economia brasileira. Segundo Omori, a recuperação poderá tomar de 7 a 8 anos, outras pesquisas afirmam que as baixas financeiras do setor poderão ser recuperadas em 2021.

Como essa situação pode ser amenizada?

De acordo com Bruno, o mercado de turismo é extremamente a favor da abertura de cassinos para se recuperar da crise, pois é estimado que os serviços ligados à jogatina tragam para o Brasil aproximadamente $70 bilhões. Segundo o presidente, os serviços relacionados ao cassino e seus diversos tipos (integrados aos resorts, hotel-cassino, urbano, e online) incluirão e fortalecerão vários setores da economia - como o imobiliário, decoração, mobilização, geração de empregos, turismo, entre outros.

Além do fomento ao turismo, os próprios brasileiros contribuirão com a economia, pois é estimado que milhões de brasileiros já utilizam os cassinos online. Apesar de não haver alternativas de empresas brasileiras que prestam o serviço virtualmente, ainda é possível jogar - quem aprecia jogos pode ver o catálogo dos melhores cassinos online seguros sem precisar esperar a liberação no Brasil para se divertir. Essas opções têm sede fora do país, então quem deseja o entretenimento da jogatina de dentro de sua casa pode curtir sem nenhum problema sendo totalmente legal.

Por quê ainda há resistência do Brasil com o mercado de jogos

"Eu acho que tem muito a ver com principalmente o preconceito e uma falta de visão, ou até intenções obscuras [...]. Pois o jogo já existe no Brasil: todo mundo pode jogar na Megasena, todo mundo pode jogar na Telesena, todo mundo pode apostar no turfe," diz o entrevistado. O presidente do IDT-CEMA ainda afirma que, apesar da grande resistência da bancada evangélica no poder legislativo, o jogo poderia trazer inúmeros benefícios para o nosso país, e que o Brasil vem ficando para trás, já que todos os gigantes do turismo mundial têm o cassino como grande fonte de renda nacional.

História dos jogos no Brasil

Não é desde sempre que os cassinos são considerados ilegais em nosso país. Na época do presidente Getúlio Vargas, eles viveram a sua fase áurea que durou até o ano de 1946, quando o então presidente, Eurico Gaspar Dutra assinou a lei que proibia os cassinos. Essa lei transformou alguns tipos de jogatina em jogos de azar, e Dutra a assinou para agradar a sua esposa, Carmela Dutra, que era católica devota e acreditava que as pessoas eram "estragadas" pela atividade. Por conta da proibição, cerca de 40 mil trabalhadores ficaram desempregados e houve uma intensa baixa na economia do país, no turismo, e em vários outros setores.

Por isso, até hoje acredita-se que a liberação de jogos será capaz de gerar empregos, aumentar a arrecadação de impostos, ampliar o turismo e a economia no geral. Anualmente, estima-se que o Estado teria um rendimento de aproximadamente R$15 bilhões.

 

Envie seu Comentário