Hospital da Vida

Dourados tem segunda captação de órgãos do ano: rins, córneas e fígado

O procedimento foi iniciado à 00h30 de quinta-feira (31), no Hospital da Vida, sendo concluído com êxito às 4h30

01/02/2019 12h11 - Por: Folha de Dourados

 
Foto: A. Frota - Parte da equipe que participou da captação de órgãos nesta semana, no Hospital da Vida Foto: A. Frota - Parte da equipe que participou da captação de órgãos nesta semana, no Hospital da Vida

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Nesta semana, Dourados registrou a segunda captação de órgãos de 2019. O trabalho iniciado com a criação da CIHDOTT (Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes), na gestão da prefeita Délia Razuk, tem alcançado destaque nacionalmente e possibilitado salvar vidas.

O procedimento foi iniciado à 00h30 de quinta-feira (31), no Hospital da Vida, sendo concluído com êxito às 4h30. Participaram profissionais do Hospital da Vida, integrantes da Comissão, e profissionais de Brasília-DF e de Campo Grande.

Foram captados rins, córneas e fígado. A CET (Central Estadual de Transplantes) com base na demanda existente direcionou os rins e córneas para unidade de saúde em Campo Grande e o fígado para unidade de saúde de Brasília.

Danyelle Radaelli de Assis Serapião, gerente do Hospital da Vida, destacou que, mais uma vez, toda a equipe envolvida garantiu o sucesso do procedimento.

"Com muito profissionalismo e com trabalho durante a madrugada, realizamos a captação e temos se empenhado para divulgar a importância dessas ações para ajudar pessoas que muitas vezes aguardam por esses órgãos por anos, na fila de espera", apontou.

De acordo com a gerente, a ação foi possível após a Comissão ter contatado a família de um homem de 37 anos, vítima de AVH (Acidente Vascular Hemorrágico) sobre a possibilidade da doação de órgãos. O consentimento foi imediato, segundo ela.

"Com toda sensibilidade quanto ao momento que a família enfrenta, a Comissão aborda o assunto da doação e diante da aceitação ocorre o procedimento. Os familiares deste último caso foram muito compreensivos sobre a grandiosidade do ato. Acredito que com o contato afetuoso de nossos profissionais com essas abordagens aos familiares, quando a ação for possível, continuaremos tendo sucesso neste trabalho", pontuou.

O Corpo de Bombeiros e a Central do Ministério da Saúde contribuíram com a captação de órgãos. Na primeira ação realizada no ano, os rins de um homem de 63 anos que teve morte cerebral, após cair do telhado de casa, foram enviados para Porto Alegre-RS.

 

Envie seu Comentário