Estado da União

Com paralisação do governo, Pelosi pede a Trump que adie discurso

17/01/2019 16h58

Com paralisação do governo, Pelosi pede a Trump que adie discurso do Estado da União

 

(Reuters) - Com a paralisação parcial do governo dos Estados Unidos em seu 26º dia, a presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, pediu ao presidente Donald Trump que remarque seu discurso do Estado da União --uma tentativa de evitar que o presidente utilize a solenidade para criticar os democratas devido ao impasse, dentro da própria Casa que controlam.

Pelosi escreveu para Trump, cujo discurso está marcado para 29 de janeiro, alegando preocupações de segurança em função da falta de recursos do Serviço Secreto --cuja atuação é exigida durante o pronunciamento-- devido à paralisação.

O impasse foi provocado pela exigência de Trump por verbas para a construção de um muro prometido por ele na fronteira entre os EUA e o México.

Os presidentes norte-americanos tradicionalmente fazer o discurso do Estado da União, no qual apresentam as metas do governo para o ano, na Câmara dos Deputados, em uma sessão conjunta do Congresso que conta ainda com a presença da maior parte do gabinete ministerial.

Os democratas assumiram o controle da Câmara após as eleições parlamentares do ano passado. Durante a paralisação do governo, Trump tem culpado com frequência seus adversários pela paralisação, embora antes tenha dito que assumiria a responsabilidade.

Em declarações a jornalistas nesta quarta-feira, Pelosi sugeriu que se Trump não concordar em remarcar o discurso para depois da reabertura do governo, ele pode em vez disso fazer o pronunciamento no Salão Oval, cenário menos grandioso que o plenário da Câmara.

A Casa Branca não comentou o pedido de Pelosi, e a carta dela pareceu surpreender assessores do presidente. Na mensagem, ela convida Trump a fazer o discurso de Estado da União no Capitólio, mas diz que a paralisação complica a situação.

"Infelizmente, devido às preocupações de segurança e a menos que o governo reabra nesta semana, sugiro que trabalhemos juntos para determinar outra data adequada para esse pronunciamento, para depois que o governo tenha reaberto, ou que considere encaminhar o discurso do Estado da União por escrito ao Congresso", escreveu Pelosi.

O congressista Jim Jordan, integrante de um grupo grupo de republicanos conservadores próximos a Trump, disse que a manobra de Pelosi mostra até onde os democratas estão dispostos a ir para obstruir Trump.

Nesta quarta-feira, Trump deve sancionar uma legislação que garanta o pagamento retroativo, quando o governo for reaberto, do salário de 800 mil servidores federais.

 

Envie seu Comentário