Caso Junior Bittencourt

‘Porta voz’ do assassino de Junior Bittencourt nega que máscara tenha sido causa da morte

Ligação anônima para a Folha de Dourados contesta versão de irmã nas redes sociais

05/07/2020 17h02 - Por: Folha de Dourados

 
Foto de perfil do WhatsApp do Fernando Souza, acusado de matar Junior Bittencourt - Foto: ReproduçãoFoto de perfil do WhatsApp do Fernando Souza, acusado de matar Junior Bittencourt - Foto: Reprodução

Clique aqui e curta nossa página no Facebook

Às 16h21 deste domingo (05) a redação da Folha de Dourados recebeu telefonema sem identificação de chamada onde um homem, que também não se identificou, contestou as informações divulgadas por uma das irmãs de Junior Bittencourt numa rede social e publicadas por este jornal no início da tarde de hoje.

Esse interlocutor afirma que Fernando Souza não era funcionário de Junior Bittencourt e, sim, sócio, e que o crime não foi cometido supostamente porque o acusado não estaria utilizando máscara de proteção ao coronavírus e, por isso, segundo a irmã, teria sido demitido pelo então secretário municipal de Agricultura Familiar.

Ele, contudo, não negou que Fernando Souza matou Junior Bittencourt [com uma facada no pescoço ontem à tarde] e disse que "ninguém morre de graça", sem contudo, revelar uma outra razão que pudesse justificar o bárbaro crime que chocou a sociedade douradense.

Mas, a Folha de Dourados apurou que, realmente, Fernando Souza não estava trabalhando no salão localizado na rua Mozart Calheiros, no Izidro Pedro, com máscara de proteção.

Também numa rede social o professor M.F publicou depois de ler a reportagem da Folha: "E saber que esse cidadão cortou o meu cabelo recentemente e eu pedi p ele colocar a máscara e ele disse que já tinha usado muito e n ia usar mais. Achei muito estranho aquilo. Como o Bitencourt estava ocupado e eu já estava sentado na cadeira acabei permitindo ele cortar. Mas n tirei a máscara"

A Redação gravou parte do diálogo com a "fonte" anônima. Leia a transcrição:

Áudio em forma escrita

"O Fernando voltou a ser sócio... Marcou aí? Oi?... Ele era sócio, não era funcionário não, entendeu? Ele era sócio... Está totalmente distorcido esse negócio aí, a irmã só quer puxar o lado da família entendeu? Eu acho que tem que ouvir os dois fatos, esperar o cara aparecer para ouvir os dois fatos entendeu? Estão julgando as pessoas erradas, eu acho que ninguém morre de graça não, entendeu? A irmã está distorcendo os fatos... não é por causa de máscara não. Porque o Fernando montou o salão e o cara voltou atrás do Fernando para voltar a ser sócio e o Fernando não quis, entendeu? Então falou, tchau, tchau. Falou!", diz o homem durante a ligação anônima sem número de chamada ao jornalista da Folha de Dourados.

Veja o áudio aqui

Publicação no Facebook feita pela irmã

Valkiria Bittencourt publicou nas redes sociais a foto de Fernando, junto com as informações sobre a morte, dizendo que Fernando foi demitido pelo Secretário da Agricultura Familiar por não utilizar máscara e o mesmo se revoltou.

"Ajudem a divulgar, matou meu irmão na covardia, ele estava trabalhando, era servidor público e trabalhava no seu salão nas horas vagas. Deu emprego para Fernando Souza, demitou ele hoje, 04 de julho, por estar sempre se recusando a trabalhar de máscara, Fernando se revoltou e cortou o pescoço do meu irmão enquanto ele cortava o cabelo de um cliente", publicou Valkiria Bittencourt no Facebook.

Confira o print da publicaçãode Valkiria

 
(Foto: reprodução)(Foto: reprodução)
 
(Print da ligação, sem número do chamador, ligação desconhecida)(Print da ligação, sem número do chamador, ligação desconhecida)

(Carlos Deanhaiha, Folha de Dourados)



Envie seu Comentário