Tá dito: “O cúmulo da falsidade é quando a pessoa tem duas caras e nenhuma delas presta” (Adágio popular)

José Henrique Marques –

Poderosos – Há algum tempo equipes da Guarda Municipal de Dourados (GMD) têm como missão fazer rondas nas residências do prefeito Alan Guedes (PP) e do presidente da Câmara Laudir Munaretto (MDB), o Polaco. O alcaide estaria receoso de ser alvo de protestos depois que impôs a cobrança da taxa de lixo. Teme ser “agraciado” com material fétido, o que é um exagero.  

Poderosos 2 – Já Polaco nega com a Bíblia na mão que tenha requisitado a segurança. A coluna apurou que a casa dele está sim sendo patrulhada pela GMD. Pela credibilidade de quem dirige as instituições, esse escriba aposta na fonte de segurança.

Poderosos 3 – Desabafo de uma das fontes da Folha de Dourados: “Safadeza. Deixamos de fazer rondas em vários patrimônios públicos para cuidar da casa deles”. A “dupla superpoderosa” é acusada de chefiar suposta organização criminosa (Orcrim) no escândalo da “farra da publicidade” denunciado ao Ministério Público Estadual pela vereadora Lia Nogueira (PP).

Salvador – O retorno do vice-governador Murilo Zauith (DEM) a Dourados, que estava previsto para 7 de Setembro, teria ficado para a semana que vem.  Alan Guedes aguarda com muita expectativa a chegada de seu líder que irá ajudá-lo a colocar a Prefeitura nos trilhos.

Salvador 2 – Pesquisa de consumo interno revela que a administração de Alan Guedes tem reprovação de 70% dos douradenses. Esse é o preço que o prefeito tem pago por bancar politicamente, na Prefeitura e na Câmara, figuras desvairadas com o poder, destilando ódio e promovendo a discórdia. A missão de Murilo é hercúlea.

Contraponto – Do presidente regional do PT, Vladimir Ferreira: “O engraçado é ver os bolsonaristas que queriam tudo aberto no ápice da pandemia, com milhares morrendo todo dia, agora, esses mesmos querem tudo fechado, no momento que os números da covid-19 baixaram por conta do avanço da vacina, vacina essa que o presidente incapaz negava. Essa turma precisa se tratar, estão doentes, cheio de fel no coração, e ainda se dizem cristãos”.

Boato – Não procede o rumor nos bastidores da imprensa e da política douradense de que a Grande FM estaria à venda, assim como o possível comprador seria o apresentador de TV, Ratinho.

Colateral – Mesmo antes da pandemia da covid-19, a saúde pública de Dourados, que atende outros 32 municípios, sofria com déficit nas cirurgias eletivas, já que o Hospital Regional nunca preencheu essa lacuna de modo satisfatório. A situação agora é muito mais delicada e centenas de pessoas aguardam ansiosamente numa fila que só cresce.

Colateral 2 – Esse problema somente será resolvido através de convênios da Secretaria de Estado da Saúde com hospitais particulares que aceitarem o desafio. E quem deveria entrar nessa parada é o Hospital Universitário da UFGD que tem programa de residência médica. Por exemplo: Como os residentes de cirurgia e obstetrícia e ginecologia irão completar o currículo se não fazem cirurgia?

Comentários do Facebook