Elairton Gehlen – escritor –

É sempre bom deixar passar um pouco o tempo para poder olhar para trás e ver o tanto de bobagem que se diz em datas importantes como essa que abre o mês de maio, passa pelo dia dois, salta aos olhos no segundo domingo e vai lá para o dia 24 que é o dia do vestibulando, sem esquecer o dia 5, dia mundial da língua portuguesa! Uma bobageira atrás da outra, com o perdão aí da redundância, em respeito ao dia cinco, já que bobageira ou bobajada é mesmo uma sucessão de bobagens! No caso, sucessão mesmo, diferente do ‘sucessão’, aquela palavra que indica qualquer coisa parecida com o aumentativo de sucesso, muito comum em políticos sorridentes nas ruas elogiando trabalhadores dos quais eles mesmo tiraram os direitos votando leis trabalhistas contrárias aos interesses da classe. 

O primeiro de maio todo mundo viu na televisão, o dia dois nem tanto. Neste dia se combate o assédio moral no ambiente de trabalho. Você já viu ambiente de trabalho sem assédio moral? O assédio moral é próprio do ambiente de trabalho, a começar pela principal característica do ambiente: Opressor X Oprimido! Só o fato de o chefe ter subordinados torna impossível não haver opressão, sem ela, não haveriam regras a serem obedecidas. Quem deve obedecer às regras? A culpa, logicamente, é de Eva e Adão quando comeram o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. No ambiente de trabalho, escolher o bem é aceitar o assédio pelo cumprimento de metas e o mal é ser demitido. Como se faz mesmo para combater o assédio moral no ambiente laboral empresarial? 

Agora deu uma vontade de falar logo do dia das mães. Essa data me é cara neste ano em que perdi a minha para a vida eterna. Ano passado fui de mudança pro Paraná para cuidá-la por um ano inteiro e no dia das mães lhe comprei um perfume do Boticário que ela usou umas duas vezes e, no final do ano, já nem se lembrando mais que fora um presente desta data especial, deu-o para nossa empregada que, diga-se de passagem, mais que merecia! Para mim, ela passou o ano inteiro dizendo: Graças a Deus você está aqui, logo você que não era para ter nascido, agora veio cuidar de mim! Este ano o dia das mães vem apressado, já no dia oito, estrategicamente marcado para o segundo domingo do mês, depois que todos os trabalhadores receberam o salário, esse dia é maravilhoso para os lojistas, as mães gostariam mesmo é que os filhos lhe presenteassem com a presença carinhosa. A maior bobagem do dia das mães é: Você TEM que COMPRAR um presente! 

 Depois de amanhã será dia cinco: Dia mundial da língua portuguesa. Graças a ela se pode tergiversar em datas comemorativas. Vira-se as costas aos reais interesses dos homenageados e usa-se subterfúgios para ‘fazer de conta’ que os homenageia. Já pensou que ato revolucionário seria se neste cinco de maio todos decidissem homenagear a língua portuguesa usando-a somente para expressar sentimentos verdadeiros e propor atitudes honestas? O dia das mães, marcado para três dias depois, perderia o sentido! Nem sei o que se diria aos aspirantes a uma vaga de graduação no dia vinte e cinco, dia do vestibulando. O que se diz hoje, é que ele deve fazer uma faculdade para ser bem-sucedido na vida. Talvez, o que viesse a ser dito é que ser bem-sucedido quer dizer, em língua portuguesa, ser ‘melhor’ que os outros, isto é, manter o status quo onde uns são superiores e outros inferiores. 

E tem mais a se comemorar neste mês, hoje mesmo é o dia do Sol, dia seis é o dia do Matemático, que bom eu sou matemático! Deixemos de bobagem, vamos curtir o Sol, mesmo que esteja nublado ou chuvoso, naquela lojinha de suvenir deve ter algum solzinho de plástico, vai lá, o importante é COMPRAR!