Nesta quinta-feira, o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, fez um comentário sexista sobre o cargo que ocupa. Para ele, mulheres não podem concorrer à presidência do país. A fala fez referência a própria filha dele, Sara Duterte, prefeita da cidade de Davao, que foi cotada para se eleger em 2022.

— Estão encorajando minha filha, mas eu disse: ‘minha filha não está concorrendo.’ Eu disse a ela para não fazer isso porque teria pena dela se ela passasse pelo que eu experimentei. Isso não é para mulheres. Você sabe, a configuração emocional de uma mulher e de um homem é totalmente diferente. Ela vai se tornar uma tola aqui — disse o presidente.

Questionada pelo portal “Rappler.com” sobre a fala do pai, a prefeita Sara Duterte disse que visitou o presidente no dia 8 janeiro, quando conto para ele que não pretendia se candidatar ao cargo. Segundo Sara, ele respondeu: ‘muito bom’.

— Ele também disse que não queria que eu concorresse, mas nada sobre gênero foi discutido — ressaltou Sara, acrescentando: — Essa é a opinião dele. Não me ofenderei porque ele também respeitará minha opinião se eu disser o contrário.

Apesar do comentário preconceituoso, as Filipinas já tiveram duas mulheres como presidentes. Uma delas, Corazon Aquino, foi aliada de Duterte e o nomeou para seu primeiro cargo na política.

Não é a primeira vez que o presidente faz declarações de teor sexista. Ele já quis transformar estupro em uma piada e fez comentários misóginos sobre a vice-presidente, Leni Robredo. Em 2018, Duterte, também foi criticado por beijar uma servidora pública da Coreia do Sul durante um evento. Ele fazia um discurso quando chamou ao palco a funcionária Bea Kim e pediu um selinho. (Extra)

Comentários do Facebook