Vereadoras Liandra Brambilla e Lia Nogueira

José Henrique Marques –

Duas mulheres protagonizaram a sessão de segunda-feira (04) da Câmara Municipal de Dourados: Lia Nogueira (PP) e Liandra Brambilla (PTB). A primeira foi absolvida, por unanimidade, da acusação de quebra de decoro parlamentar por suposta ameaça a uma ex-assessora. A segunda foi eleita 2ª-secretária na Mesa Diretora e agora ocupa o lugar que Lia abdicou em meio à turbulência da grave crise política em Dourados, tendo como pano de fundo a “farra da publicidade”, investigada pelo MPE. Coube à Liandra cunhar uma frase definidora: “Vamos juntos construir um Legislativo forte e unido”. Legislativo forte, é Legislativo fiscalizador, sem subordinação ao Executivo, como vem demonstrando Lia, mesmo sendo do mesmo partido do prefeito Alan Guedes. E para ser forte é preciso de união, e não de fragmentação como se observa com a ingerência indevida do Executivo, que estaria armando outra “casa de caboclo” para Lia por causa de “vaquinha” para suprir a UPA e o Hospital da Vida com material de limpeza e higiene. Seria uma vingança pela entrada de três promotores no caso da tal “farra”. Isso num momento em que a terceira membro da bancada feminina, Daniela Hall (PSD), e o atual presidente Laudir Munaretto (MDB) foram envolvidos no caso protagonizado por Alan Guedes e dois de seus principais assessores: o chefe de Gabinete Alfredo Barbara e o assessor especial Milton Junior da Lupa. Mais um, dois ou três pedidos de afastamentos e de comissões processantes serão tiros nos pés, inoportunos, é banalizar. É desgaste para quem tem muito o que fazer pelo povo de Dourados – tanto o Legislativo como o Executivo. Alguém já disse que “Quem gosta de vereador é vereador”.

Comentários do Facebook