Resolução publicada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (12) inclui entre os procedimentos da nova fase da Caravana da Saúde os exames de cateterismo, litotripsia e urodinâmica, além de operações de ortopedia. Eles farão parte do “Examina MS” e “Opera MS”, que visam reduzir a fila de espera na saúde pública de Mato Grosso do Sul.

A expectativa é que sejam realizados 1.227 exames de cateterismo, 400 procedimentos de litotripsia (exame de pedra nos rins realizada por ultrassom) e 1.353 de urodinâmica. Estes procedimentos são novidades desta edição da Caravana da Saúde.

Para estes procedimentos poderão ser feitos atendimentos eventuais ou mutirões, no período de janeiro a abril deste ano. Caberá às secretarias municipais de Saúde, juntamente com os estabelecimentos de saúde, fazerem as adesões ao programa estadual.

Esta adesão e a proposta com a estimativa da quantidade de procedimentos a serem realizados em relação a estes exames e operações, devem ser encaminhadas para SES de 17 a 21 de janeiro.

A regulação do acesso dos pacientes atendidos no programa será feita pelo sistema do Core (Complexo Regulador Estadual) e a para solicitação de vagas a Central Estadual de Regulação Ambulatorial (Cera) dará preferência aos casos de maior gravidade e maior tempo de inserção no sistema.

A SES poderá, a qualquer tempo, repactuar os limites financeiros programados ou fazer o remanejamento para os municípios ou unidades de saúde contratadas. Também terá aval para alterar o rol de procedimentos para melhorar a execução do programa. (Confira a publicação)

Nova etapa

O governador Reinaldo Azambuja lançou em dezembro do ano passado a nova etapa da Caravana da Saúde, que terá investimento superior a R$ 120 milhões. São previstos mais de 70 mil procedimentos médicos de média e alta complexidade, em duas modalidades: Opera MS e Examina MS.

Os exames e cirurgias eletivas tem previsão de seguir até outubro deste ano, em atendimentos exclusivos em unidades hospitalares e clínicas médicas credenciadas pelo Governo do Estado. 

Entre as cirurgias se destacam as ortopédicas, vasculares, oftalmológicas, de otorrinolaringologia e urológicas. No rol de exames aparecem ressonâncias magnéticas, tomografias computadorizadas, ultrassonografias, cardiovasculares, de cintilografia, endoscopia e colonoscopia.

“A pandemia paralisou as cirurgias eletivas e os exames em todo o Estado. Nisso, criou-se um passivo enorme de pessoas aguardando na fila. Pelo menos 70 mil. Então, retornamos a Caravana, contratamos hospitais públicos e abrimos o credenciamento para hospitais privados. Serão feitos 70 mil procedimentos, podendo chegar a 100 mil”, afirmou o govenador Reinaldo Azambuja.

Comentários do Facebook