A garota de programa esfaqueada em um motel, no Jardim Tijuca, em Campo Grande, por um pastor recebeu alta do hospital Santa Casa. O autor fugiu pulando o muro e levou objetos pessoais dela. O caso é investigado como tentativa de feminicídio.

A vítima deu entrada na unidade de saúde no dia 11 às 22h40, com história de ferimento pelo parceiro, por arma branca em região cervical direita. Recebeu medicação, submetida a sutura em região do ferimento, realizou exames laboratoriais e de imagens de tomografia de coluna cervical, abdômen, bacia, pescoço e tórax. Apresentou melhora clínica, sendo liberada nessa terça-feira (12) às 9h13, portando receita, atestado e orientações médicas.

O caso

A reportagem teve acesso ao boletim de ocorrência e aos familiares, que relataram que a jovem foi convidada para se encontrar com o homem no motel. A vítima teria dito que, ao chegar ao local, o pastor já estaria no motel, fazendo consumo de drogas. Na saída, quando ela estava no banheiro se trocando, ele teria se aproximado dela, atacando-a.

A ocorrência traz que, primeiramente, o autor acertou a vítima com um golpe no pescoço, tentando degolá-la. Depois, deu uma facada na costela dela. Nesse momento, a mulher teria reagido e segurado a faca com a mão, desarmando o pastor. No chão do quarto, ela passou a ser agredida com socos e chutes, oportunidade em que o homem, então, tentou estrangulá-la, dizendo que ela iria morrer ali, mas ela novamente conseguiu se defender.

O relato à reportagem também traz que, nesse momento, enquanto o autor tentava sufocá-la, a vítima teria conseguido pegar a faca e ferir o agressor, fazendo com que o mesmo desistisse da ação. Por fim, a mulher teria gritado por socorro.

Quando os funcionários do motel chegaram ao quarto, o autor fugiu do local levando carteira com documentos da vítima, bem como R$ 156 em espécie. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon. De lá, foi encaminhada para a Santa Casa.

A Polícia Civil foi acionada e realizou perícia no motel em busca de informações que possam auxiliar no esclarecimento dos fatos. O autor fugiu e até o momento não há registro da prisão. A família ainda explicou ao Midiamax que, com base nos registros de conversas no WhatsApp e Instagram da vítima, o autor seria um líder religioso de Goiás. (MidiaMax)

Comentários do Facebook