Professor Enio Ribeiro

Ênio Ribeiro – Professor

Em 2016 demos início ao PROJETOAMBIENTAL SOS PARQUE ARNULPHO FIORAVANTE, organizado e realizado pelos alunos e professores das turmas dos 9º Anos, Ensino Fundamental e dos 1º Anos de Ensino Médio, Escola Estadual Menodora Fialho de Figueiredo..

Duas prioridades quero destacar neste Projeto, quais sejam, simultaneamente promove educação ambiental  e estimula alunos e professores a  fazerem sugestões e reivindicações aos governantes  e  sociedade, bem como, cobrar a adoção de um modelo de desenvolvimento do município que compatibilize os interesses de natureza política, econômica e ambiental em Dourados, e de maneira,  especial a preservação e a revitalização do Parque Arnulpho Fioravante.

Coerente com estes objetivos as atividades foram planejadas e realizadas recorrendo a:

1) leitura e discussão da Agenda 21, Código Florestal Brasileiro, Lei Complementar 055 (Lei Verde de Dourados);

2) que os alunos produzissem vídeos, textos, desenhos, questionários, fotos de forma a registrarem a realidade ambiental em Dourados e do Parque Arnulpho Fioravante;

3) visitas ao Parque Arnulpho Fioravante feitas por alunos e professores para que se inteirassem:  a) sobre como tem sido o processo de apropriação e pela sociedade deste Parque,  infelizmente trágico porque se caracteriza pelo descarte de embalagens de camisinhas (anticoncepcionais), garrafas pets e pneus no mesmo; b) pela prática criminosa de alguns dos usuários que ateam fogo na vegetação; c) por levarem os seus cães para infernizarem a vida das capivaras; d) pelos danos causados aos alambrados e  equipamentos instalados no Parque; e) e para que  conversassem com os técnicos do Instituto Municipal do Meio Ambiente (IMAM), da Guarda Municipal e da Polícia Ambiental para que estes relatassem aos alunos e professores,  as ações e desafios de cada um destes órgãos, relacionadas de maneira geral ao meio ambiente e de forma específica ao Parque Arnulpho Fioravante.

Porém, nós, os coordenadores do Projeto, percebemos na medida que desenvolvíamos o Projeto que era preciso articular um movimento municipal porque envolvendo apenas os professores e os alunos da Escola Menodora não iriamos além da educação ambiental.

Diante deste problema, procuramos o vereador Elias Ishy, Presidente Comissão Municipal de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Dourados e fizemos a proposta de articularmos um movimento ambiental, a princípio abrangendo apenas o Parque. Todavia, em conversa havida entre o Professor Enio (eu) e o assessor do vereador, Natal Ortega, chegamos da conclusão de que precisávamos ser mais ousados e constituir um movimento de abrangência municipal.

Esta conversa ocorreu em Setembro de 2019 e resultou na realização de articulações com ambientalistas, vereadores, professores, alunos, moradores, universidades e outros, cujo  resultado foi a  criação do Fórum Municipal, Qualidade de Vida, Áreas Verdes, Nossos Parques, Nossas Praças.

Em ,2020, mesmo em meio a pandemia da Covid 19, o Fórum desenvolveu várias ações, tendo como temas: as áreas verdes, parques, praças, mobilidade urbana e a revisão do Plano Diretor, haja vista que a Prefeitura decidiu por reformulá-lo e atualizá-lo.

Passamos a ter visibilidade e estamos crescendo em credibilidade junto a sociedade. O fórum se caracteriza por valorizar e envolver as universidades, institutos, a sociedade e os governantes. O Fórum procura desenvolver o seu trabalho valorizando o conhecimento técnico-científico e o conhecimento popular. Avaliando os dois tipos de conhecimento como igualmente importantes, ao mesmo tempo que faz movimentos que pressionem os governantes a assumirem compromissos com as propostas e reivindicações apresentadas por este Fórum.

Fiz este relato porque ouvi muitas vezes os alunos dizerem: “professor, não adianta nós fazermos esse movimento, se as autoridades e o povo, não tão nem aí”. Pois bem, os acontecimentos narrei, recorrendo a Fernando Pessoa que setenciou: “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”. A luta que travamos no e através do Fórum é uma luta, não de uma, mais de centenas de almas, não pequenas.

Enio Ribeiro de Oliveira, professor de Geografia da Rede Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul e um dos Coordenadores do Fórum Municipal, Qualidade de Vida, Áreas Verdes, Nossos Parques, Nossas Praças.

Comentários do Facebook