Fisioterapeuta também res´ponde processo pela morte da brasileira. (Foto: Reprodução)

A fisioterapeuta paraguaia Danilda Victoria Ruiz Díaz, foi presa ontem (9) em um hospital de Assunção, capital do Paraguai, onde foi submetida a uma cirurgia de emergência.

Ela e a obstetra Claudia Raquel Echeguren respondem a Justiça por homicídio culposo, com condenação por envolvimento na morte da estudante brasileira Sheiza Ayala, durante procedimento estético em setembro do ano passado.

Depois de comprovada a identidade da acusada, que estava foragida, o fato foi comunicado pela direção do hospital à Justiça do Paraguai, que autorizou a internação, diante da gravidade do caso, por meio de decisão do juiz Martín Areco Torraca e ao mesmo tempo determinou sua prisão domiciliar.

Danilda Victoria Ruiz Díaz foi indiciada pelo promotor Pablo Zorrilla junto com a obstetra Claudia Raquel Echeguren por homicídio culposo, acusada de ter aplicado hidrogel de colágeno para aumento das nádegas da estudante brasileira.

Sheiza Ayala fez os primeiros procedimentos em clínica clandestina no Paraguai. Ela passou mal e teve que ser encaminhada a um Hospital em Ponta Porã, do lado brasileiro, mas não resistiu e morreu em decorrência de embolia pulmonar, hemorragia e parada cardíaca.

Fisioterapeuta envolvida em cirurgia estética que matou brasileira na fronteira é presa

Este não é o primeiro processo contra a fisioterapeuta. Ela também já respondia por homicídio culposo em caso semelhante registado em 2019, pelo qual foi proibida de exercer a profissão e de se aproximar da capital de Amambay, conforme especificado pelo Ministério Público.

Por outro lado, a obstetra Claudia Raquel Echeguren , compareceu perante a Justiça em Pedro Juan Caballero no dia 24 de setembro do ano passado onde lhe foram impostas medidas alternativas à prisão, com direito a responder ao processo em liberdade. (Com Mídia Max)

Comentários do Facebook