Chefe de Gabinete da Prefeitura e o prefeito Alan Guedes: o combinado continua valendo

Do Douranews –

A ‘farra da publicidade’, como ficou conhecida a temporada patrocinada pelo prefeito Alan Guedes (PP) quando presidiu a Câmara de Vereadores (entre 2019 e 2020), favorecendo com gordos repasses o atual chefe de Gabinete, e ainda diretor do jornal DiárioMS, Alfredo Barbara Neto, parece ter se enraizado a partir de janeiro deste ano na Prefeitura. É o que indicam demonstrativos de pagamentos efetuados pela atual administração aos ‘amigos para sempre’ nos primeiros oito meses de Guedes no comando da cidade.

Ameaçado por inquérito cível, ainda não descartado pelo promotor Ricardo Rotunno, da 16ª. Promotoria do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), o secretário de Governo e Gestão, Henrique Sartori, decidiu fornecer cópias das notas pagas a prestadores de serviços de comunicação, e outros nem tanto, relativos ao período de março a agosto deste ano, depois que a Promotoria registrou Notícia de Fato para apurar irregularidades denunciadas quanto à prestação de serviços de publicidade do Município.

A transparência dos atos administrativos praticados na contratação com a Mídia, que Sartori relutou em apresentar, sob a justificativa recebida da agência oficial de que não existe uma lei “que nos obriga a prestar tais informações”, continua demonstrando, entretanto, as mesmas disparidades já denunciadas pela vereadora Lia Nogueira, no caso da ‘farra da publicidade’ instalado na Câmara durante a gestão de Alan Guedes com a participação de Alfredo Barbara e da agência oficial do Legislativo.

Embora tente ensinar aos responsáveis pelos veículos de comunicação que o Portal da Transparência oferece relatórios “contendo o número das notas fiscais, a data e o valor”, foi justamente a partir dessa omissão de informações que o promotor Rotunno avisou o prefeito dos procedimentos preliminares para abertura de ação civil pública ou inquérito civil caso insista em continuar escondendo os números de quanto a Prefeitura paga mensalmente do contrato global da ordem de R$ 1,5 milhão para manter a imagem do administrador público.

A ‘FARRA DA PUBLICIDADE’

Dos R$ 142.481 mil gastos com a Comunicação oficial, em março, apenas três fornecedores abocanharam o equivalente a R$ 46.381. Em abril não foi diferente: os gastos subiram para R$ 344.678 mil e, desse total, um único fornecedor ficou com mais de R$ 94 mil. Já em maio, dos R$ 241.658 mil gastos na publicidade, a Prefeitura pagou a um único fornecedor R$ 36.172, além de R$ 14.330 a um outro e outras duas faturas superiores a R$ 12 mil para mais ‘dois amigos’.

Em junho, Guedes ‘investiu’ R$ 315.184 mil com a publicidade, dos quais R$ 36 mil com um único fornecedor, outro com R$ 28.360 e ainda prestigiou outros dois, com R$ 12.592 e R$ 12 mil, respectivamente. Em julho, a gastança foi menor: R$ 256.272 mil, sendo que um único prestador se serviço ficou com mais de R$ 44 mil e o outro ‘amiguinho’ com verba superior a R$ 14.5 mil.

Farra da publicidade: Prefeitura informa pagamentos ‘desproporcionais’ à mídia
Transparência anunciada em revista de publicação dos assuntos maçônicos faz parte da ‘farra’

O mês de agosto foi de fartura, para poucos, obviamente. Apesar do total gasto de R$ 528.996 mil (quase 300% a mais do que em março), Alan Guedes priorizou um único fornecedor com R$ 72.324, outro com R$ 34.610, mais R$ 16.800 a um ‘parceiro’ de Campo Grande, que, como outros, entre eles a publicação editada pela associação maçônica, que levou R$ 8.800 por uma única publicação. A empresa paulista NSSports também teve direito a R$ 70 mil, a título de ‘incentivo ao esporte’ de Dourados, assim como as insuspeitas Bandeira & Correia, que ficou com R$ 8 mil só em agosto e a Studio M Mizerkowski & Anschau, de Maracaju, com R$ 11.200 no mesmo mês. O DOURANEWS está de posse de todos esses comprovantes.

Comentários do Facebook