Na próxima segunda-feira, 21 de setembro, é comemorado o Dia da Árvore. O início da primavera brinda a sede da Escola Champagnat de Dourados com o desabrochar de diversos ipês amarelos, que estão embelezando a cidade, e trazendo mais cor neste período de pandemia.

Os ipês são arvores que florescem no inverno. Eles anunciam a chegada da primavera, prevista para 22 de setembro. Uma lenda diz que as árvores colorem o cenário monocromático causado pela seca do inverno, pois são capazes de resistir às dificuldades do período, servindo como aprendizado ao homem: as flores expressivas seriam um prenúncio de que mesmo em tempos difíceis, dias melhores virão.

O Diretor da Escola Champagnat de Dourados, André Luiz Carneiro Rodrigues, explica que, mesmo com as atividades domiciliares, a Escola continua preservando e cuidando da natureza em seu entorno. “Quando as aulas retornarem, os alunos encontrarão o prédio tão bonito quanto deixaram”, afirma.

Reserva Ecológica

A unidade também mantém a Reserva da Escola Champagnat, inaugurada em 2016 e mantida pelo Grupo Marista, com mata nativa, em uma área verde de 1,2 hectare, e vasta biodiversidade de espécies da flora e da fauna brasileira.

A reserva é uma área de preservação que, ao mesmo tempo, serve como um espaço para educar crianças, jovens e adultos sobre a importância de se preservar o meio ambiente. Um dos principais atrativos é a chamada Trilha Ecológica Interpretativa para atividades socioambientais.

Neste momento de isolamento social a Reserva da Escola Champagnat está fechada para visitas em grupos. Porém, os interessados em conhecer o espaço podem tratar pelo telefone (67) 3424-1311 para atendimento individual.

Kits para estudantes

Para comemorar o Dia do Estudante, em agosto, a Escola Champagnat de Dourados produziu kits com guloseimas, colocadas em embalagens personalizadas e com frases de apoio e incentivo aos alunos. Os presentes foram entregues nas casas de cada um, atendendo aos protocolos de saúde para o combate ao novo coronavírus.

“As crianças, em virtude das aulas virtuais, há alguns meses não viam seus professores pessoalmente. Mesmo sem o contato de um abraço e mantendo distância, foi possível se ver pessoalmente e diminuir um pouco das saudades”, constata o diretor.

Comentários do Facebook