Residência artística com o grupo mineiro será realizada em fevereiro e as inscrições estão abertas a partir do dia 14 de janeiro

A Residência Artística que será realizada no Casulo Espaço de Cultura e Arte entre os dias 14 e 19 de fevereiro de 2022 terá a presença e a participação do Coletivo Pigmalião Escultura que Mexe. A programação inclui três oficinas voltadas para o teatro de bonecos, além da apresentação do espetáculo de marionete de fio “Seu Geraldo Voz e Violão”. 

O projeto conta com o apoio do Fundo de Investimentos Culturais (FIC), via Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. As inscrições para as oficinas estão abertas a partir desta sexta-feira, dia 14 de janeiro. As vagas são limitadas e a participação é gratuita. Como o evento será realizado presencialmente, serão adotados todos os protocolos de biossegurança. Portanto, ao efetuar a inscrição, será necessário apresentar comprovante de vacinação contra Covid, com pelo menos duas doses.

Oficinas

As oficinas oferecidas durante a Residência Artística serão: 

A construção de Pigmalião – 14 a 18 de fevereiro, das 8h30 às 12h30: Segundo a mitologia grega, Pigmalião amava tanto uma de suas esculturas que os deuses decidiram dar vida à sua criação.  Como ele, o bonequeiro busca construir seus bonecos para que eles ganhem vida. Nesta oficina os alunos irão construir juntos um boneco completo em proporções naturais, usando técnicas elaboradas de articulação, essenciais para criar a ilusão de que os bonecos possuem vida própria.

A Representação do Movimento na Marionete – 14 a 17 de fevereiro, das 14h30 às 18h30: Nesta oficina, o Pigmalião compartilhará suas técnicas de manipulação direta organizadas em cinco conceitos-chaves: peso e contrapeso, foco, gestos essenciais, economia e triangulação. Por meio de exercícios e práticas de criação, os alunos serão estimulados a observar e representar diferentes formas de movimento que podem ser aplicadas nas diversas técnicas de manipulação.

A Relação entre o Ator e o Boneco – 18 de fevereiro, das 8h30 às 12h30 e das 14h30 às 18h30: Esta oficina conduz à investigação das relações possíveis entre o ator-manipulador e o boneco manipulado. O Pigmalião Escultura que Mexe exercita a sensibilização de seus atores através da relação direta com o boneco, conectando-os física, sensível e simbolicamente. O que o ator deve fazer para aparecer ou desaparecer na presença de um boneco?  Como se portar? Os alunos serão estimulados à criação de cenas em que boneco e manipulador coexistem na representação.

As inscrições podem ser feitas por meio do link https://abre.ai/dK0r

Espetáculo Seu Geraldo Voz e Violão

A Residência Artística do Coletivo Pigmalião termina com a apresentação do espetáculo de marionete de fio Seu Geraldo Voz e Violão, no dia 19 de fevereiro. A apresentação será híbrida, com público presencial e transmissão on line. Saiba mais sobre o espetáculo:

Seu Geraldo é um violeiro e cantor de setenta e três anos. É uma figura singular, que gosta de falar com a sua plateia sem barreiras, sobre o assunto que a ocasião mandar. Faz seu show ao lado da namorada, Dona Catarina, de oitenta e um anos, e Ana, sua irmã. Os três relembram músicas antigas e sempre surpreendem pela escolha deu seu repertório e pelo teor inesperado até de suas conversas mais triviais. Seriam três idosos como outros tantos, não fossem eles marionetes de fios esculpidas em madeira absolutamente conscientes de que são seres humanos normais, com os mesmos direitos e deveres de qualquer cidadão. 

Concepção e interpretação: Eduardo Felix

Construção: Eduardo Felix e Taís Scaff

Violão e arranjos: Marcos Costa

Figurinos: Maria do Céu Viana

O coletivo

O Pigmalião Escultura que Mexe é um coletivo de artistas que encontrou no teatro de bonecos o veículo ideal para desenvolver trabalhos no limite entre as Artes Cênicas e as Artes Plásticas. Criado em 2007, o grupo sempre procurou desenvolver espetáculos com profundidade conceitual e filosófica. A marionete de fios, a relação do ator com o boneco e o Teatro Visual são seus principais focos. Na construção contínua de sua identidade, o Pigmalião busca o reconhecimento do teatro de bonecos na produção artística contemporânea.  O coletivo é mundialmente reconhecido, premiado e teve incursão em diversos festivais nacionais e internacionais de teatro de bonecos e de animação.

Em 2018, Eduardo Felix, fundador do Pigmalião, teve participação na construção das marionetes e máscaras utilizadas na peça “Judith e sua sombra de menino”, em Dourados (MS). Desde aquele primeiro trabalho desenvolvido em Dourados, idealizou-se a realização de uma formação em teatro de bonecos, aberta ao público artístico da cidade. 

Comentários do Facebook