Piscina do Bravo City Hotel - ex Hotel Alphonsus - Foto: divulgação

Elairton Gehlen – escritor –

Desde fevereiro deste ano ando cumprindo missão no Paraná, mas volta e meia, venho para Dourados onde tenho meus filhos e trinta e seis anos de história. Não tenho casa aqui, mesmo tendo duas. Quer dizer, não tenho moradia, já que levei a mudança, dado que a missão deve se prolongar por um tempo ainda não definido, então, quando venho à Dourados, hospedo-me em algum hotel. Da última vez, fiquei no Alphonsus que, agora não mais se chama Alphonsus, mas Bravo City Hotel, uma rede de hotéis que jura vai revitalizar o Alphonsus e, parece, já implementaram algumas melhorias em áreas importantes como a academia e a sauna, além de outras que não me chamam muito a atenção. 

Estou fazendo propaganda do Bravo City? Sim, tanto quanto faço da cerveja bohemia! Não tenho nenhum compromisso com um e nem com outro, só gosto de gastar um tempo com quem me faz bem. Já fiquei hospedado no Ellus, no Figueira Palace e estou com vontade de reservar o Delírio Motéis e Pousada ou quem sabe o Céu do Mato – Eco Hostel para próxima viagem que já se aproxima, mas tem algo que no Bravo City parece peculiar. 

Fiz a reserva pelo Booking.com, e booking significa exatamente reserva, então, fiz a reserva no reserva.com Deixemos os estrangeirismos de lado e vamos ao que interessa: Nem todos os hotéis podem oferecer o mesmo atrativo que o Bravo City! Além do atendimento, que como em todos os hotéis é cortês, um café da manhã bom e apartamentos aconchegantes, tem uma piscina com atrativos que só ali pude constatar. Muitos hotéis em Dourados nem piscina tem e eu acho isso um diferencial, não porque me deleite em me banhar em águas frias de piscina, mas porque gosto do ambiente para escrever minhas crônicas que vão diretamente da piscina para o meu blog e o Jornal Folha de Dourados, onde publico meus escritos. 

O site Booking.com pediu para eu avaliar o hotel e dar algumas dicas da viagem para divulgação a outras pessoas que possam eventualmente se interessar por Dourados. Pensei imediatamente em dizer que Dourados é o lugar onde o tempo pode deixar de existir quando se toma uma Bohemia na beira da piscina em companhia da belíssima Marina, exclusividade deste lugar. Pensei também em dizer que esta cidade, que se chama Modelo, tem tudo para ser uma das mais mal administradas que conheço, políticos corruptos e comerciantes gananciosos, mas seria redundância. Então me lembrei da piscina do hotel e da Marina, que, aliás não está disponível para quem quer que se interesse em fazer turismo por esta cidade…. Modelo! Ela só não é exclusiva por causa do Mia Couto, impossível concorrer! 

Mesmo não sendo um escritor admirável, me dispus a escrever na piscina do Alphonsus, ou Bravo City, como quiser. Mal comecei minhas mal traçadas linhas e um Urubu, isso mesmo, um Urubu, veio voando em direção à piscina e pousou sobre a viga acima da grade, olhou-me com algum interesse que não compreendi muito bem, desceu até o piso, andou como se desfilasse e aproximando da água, bebeu como quis, olhou-me outra vez como a perguntar qualquer coisa e foi-se embora. 

Onde, eu pergunto, um Urubu é atração turística se não na piscina do Bravo City Hotel? 

Comentários do Facebook