Foto: Reprodução/Disney

A ciência sabe que as mudanças climáticas devido à ação humana estão prejudicando a reprodução das aves. Condições como altas temperaturas e períodos de seca mais intensos e frequentes são alguns dos fatores que explicam o problema. Entre as vítimas estão o calau-de-bico-amarelo (Tockus leucomelas), espécie que vive nas savanas africanas e inspirou o personagem Zazu no filme O Rei Leão.

O alerta vem de um estudo publicado na revista Frontiers in Ecology and Evolution nesta quinta-feira (19). “Há evidências crescentes dos efeitos negativos das altas temperaturas no comportamento, fisiologia, reprodução e sobrevivência de vários tipo de aves, mamíferos e répteis em todo o mundo”, diz, em comunicado, Nicholas Pattinson, primeiro autor do estudo.

A pesquisa analisou o comportamento de espécimes de calau-de-bico-amarelo ao longo de uma década – de 2008 a 2019 – no deserto do Kalahari, no sul da África. A constatação é de que a espécie enfrenta perigo de extinção no local.

Reprodução ameaçada

Conhecido por sua peculiar estratégia de reprodução e nidificação em cavidades, o calau-de-bico-amarelo do sul é uma espécie socialmente monogâmica. Durante a procriação, a fêmea se fecha no ninho, onde fica por uma média de 50 dias para chocar e cuidar dos filhotes. A única abertura é uma estreita fenda vertical, através da qual o macho alimenta a fêmea e os filhotes.

Esse tipo de nidificação protege contra os predadores, o que significa que o sucesso da reprodução depende de fatores como disponibilidade de alimentos e clima. Isso porque os calaus-de-bico-amarelo iniciam a reprodução nos períodos de chuva, que correspondem aos dias mais quentes do ano.

Para a pesquisa, Pattinson e sua equipe coletaram dados exclusivamente de casais que se reproduzem em caixas-ninho de madeira. Eles analisaram o sucesso reprodutivo em escalas amplas e finas (tendências de longo prazo e tentativas individuais de reprodução, respectivamente). A equipe também analisou as tendências climáticas para a região.

Ao comparar os três primeiros períodos (de 2008 a 2011) com os três últimos (de 2016 a 2019), a porcentagem média de caixas-ninho ocupadas diminuiu de 52% para 12%. As reproduções bem-sucedidas com ao menos um filhote caíram de 58% para 17%, e a média de pássaros nascidos por tentativa de criação diminuiu de 1,1 para 0,4.

Os autores constataram que a temperatura impacta diretamente na reprodução desses animais. Quanto mais quente, pior. Na pesquisa, não foram registradas tentativas de acasalamento bem-sucedidas acima de 35,7°C.

Risco de extinção

As previsões atuais de aquecimento para o deserto do Kalahari indicam que, até 2027, o calau-de-bico-amarelo não conseguirá mais se reproduzir por lá.

“Grande parte da percepção pública dos efeitos da crise climática está relacionada a cenários calculados para 2050 e além, no entanto, os efeitos da alteração do tempo são atuais e podem se manifestar não apenas durante a nossa vida, mas até em uma única década”, afirma Pattinson, ecologista da Universidade da Cidade do Cabo, na África do Sul.

(Galileu/Umsóplaneta)

Comentários do Facebook