A China concluiu hoje (30) com sucesso o envio da nave de abastecimento Tianzhou-2, transportando provisões e combustível, para a estação espacial chinesa, informou a Agência Espacial de Missões Tripuladas (AEMT) do país asiático.China conclui neste domingo envio de nave de abastecimento para estação espacialChina conclui neste domingo envio de nave de abastecimento para estação espacial

A Tianzhou-2 deveria ter decolado em 20 de maio, mas Pequim adiou o lançamento, por razões técnicas.

O acoplamento com o principal módulo da estação espacial chinesa, lançado em 29 de abril, deu-se às 05:01, hora local.

A missão durou cerca de oito horas, após o lançamento do Centro Espacial de Wenchang, na ilha de Hainan, no sul da China.

A bordo, a nave não tripulada levava provisões e equipamento para os astronautas, além de combustível.

Cerca de dez lançamentos estão planejados até o fim do próximo ano para transportar mais dois módulos da estação espacial, vários componentes e uma equipe de três pessoas.

O lançamento do módulo central Tianhe, da estação espacial chinesa, foi considerado um sucesso, mas a China foi amplamente criticada por permitir a reentrada descontrolada das porções do foguetão que o transportou até à órbita terrestre.

O representante da Nasa, a agência espacial norte-americana, Bill Nelson, considerou, na ocasião da reentrada do foguete, que Pequim tinha falhado tinha ao não corresponder aos padrões necessários em relação ao tratamento dos destroços espaciais.

O programa espacial chinês enfrentou alguns problemas desde que colocou um astronauta em órbita, em 2003. O lançamento da estação espacial, por exemplo, foi adiado por causa de uma falha na primeira versão do gigantesco foguetão Long March 5B.

No início do mês, a China conseguiu, no entanto, aterrissar a sonda Tianwen-1, assim como o `rover` Zhurong, no solo de Marte, tornando-se o terceiro país a conseguir esse feito, depois dos Estados Unidos e da antiga União Soviética.

Comentários do Facebook