Alzheimer, Fibromialgia e Lúpus: três doenças diferentes, mas que têm em comum o fato de não terem cura. A Campanha Fevereiro Roxo frisa que, apesar de uma doença ser incurável, não significa que o portador não possa ter qualidade de vida. E, pensando nisso, o vereador Sergio Nogueira (PSDB) protocolou nesta segunda-feira, 22, o projeto de lei que institui em Dourados um mês destinado à conscientização sobre a prevenção e ao diagnóstico precoce dessas doenças. Em votação na sessão ordinária, o PL foi aprovado em regime de urgência, por unanimidade.

O Fevereiro Roxo é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar, conscientizar e sensibilizar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce de Alzheimer, Fibromialgia e Lúpus. “Esta campanha poderá acontecer em nosso município com mais intensidade no mês de fevereiro. Além da adesão ao laço roxo, símbolo da campanha, em órgãos públicos e instituições, com a lei instituída, poderão ser desenvolvidas campanhas de visibilidade, conscientização e esclarecimentos”, justifica Sergio Nogueira.

O Lúpus é uma doença autoimune, acontece quando o próprio sistema imunológico começa a atacar os órgãos e tecidos saudáveis do organismo – praticamente como invasores externos. A Fibromialgia é uma doença reumatológica e hereditária, sendo mais comum afetar mulheres com cerca de 30 a 60 anos, contudo, em alguns casos, pode surgir na infância ou na adolescência. Já o Alzheimer afeta várias regiões do cérebro, resultando em perda de memória recente e falta de coerência na fala, uma doença que atinge principalmente os idosos, sendo assim, o quadro clínico pode ser confundido com os sintomas comuns da idade.

O vereador Sergio Nogueira ressalta que “o diagnóstico precoce, bem como a identificação dos seus sinais, sintomas e orientações sobre as maneiras de melhorar a qualidade de vida dos portadores, é essencial justamente porque todas essas doenças podem ser retardadas com o início rápido do tratamento adequado”.

O projeto Fevereiro Roxo seguirá para sanção do Poder Executivo.

Comentários do Facebook