Alfredo Maria Adriano d'Escragnolle Taunay - o Visconde de Taunay

Anotações de Abrão Razuk (*) –

Natural do Rio de Janeiro, nasceu em 1843 e faleceu em 1899 também no RJ. De família francesa, fez os estudos secundários no Colégio Pedro II e formou-se em engenharia.

Durante a Guerra do Paraguai serviu nessas armas em Mato Grosso e tomou parte na “Retirada da Laguna”, cujos lances dramáticos e heroicos imortalizou num livro em francês, traduzido depois, entre outros, por seu filho Afonso. Foi presidente de Santa Catarina e professor na escola militar. Explorou vários gêneros literários: o romance, conto, narrativas de viagem, drama e história.

Em sua formalidade há uma aparente contradição: é um dos mais brasileiros como escritor e dos mais estrangeiristas, como político.

Este último aspecto é explicável por sua origem e opinião de precisar à brasileira do influxo da mestiçagem e orientação europeia, o que externa em seus livros “Casamento Civil” e “Naturalismo”. O primeiro aspecto procede de suas viagens pelo nosso interior, amor à natureza e dotes de observação.

Sua bagagem literária apresenta: “A Retirada da Laguna”; “inocência”, sua obra prima, “A mocidade de Trajano”; “Ouro sobre azul”; e “Narrativas militares”.

O encilhamento, sobre a situação de quebra econômica provocada pela orientação de Rui Barbosa no Ministério da Fazenda”. Seu estilo não é de grandes arroubos de imaginação, mas de realismo nas cenas e paisagens apresentadas.

Outros livros a mencionar: “Dias de guerra e de sertão”; “Histórias brasileiras”; “Memórias” e “Reminisciências”.

Esse enfoque foi anotado por mim em 2.8.1962 quando aluno do Curso Bandeirantes, do prof. João Batista Castelões – preparatório ao vestibular de direito. Grande mestre e professor do colégio bandeirantes de São Paulo.

Campo Grande-MS, 22 de novembro de 2021. (Segunda-feira).

(*) Advogado militante e ex-juiz de Direito e Eleitoral do TRE/MS por 4 mandatos 

Comentários do Facebook