10/10/2018 08h19

Fátima do Sul e Caarapó estão 'debaixo d’água' no 3º dia de chuva

Por: Folha de Dourados
 
 
Situação no cruzamento das ruas Tiradentes com Dr. Coutinho em Caarapó. (Foto: Alô Caarapó) Situação no cruzamento das ruas Tiradentes com Dr. Coutinho em Caarapó. (Foto: Alô Caarapó)
 
Os estragos são piores devido as ventanias que destelham residências. (Foto: Alô Caarapó) Os estragos são piores devido as ventanias que destelham residências. (Foto: Alô Caarapó)

Ventanias registradas em Mato Grosso do Sul já estavam previstas e meteorologia já nomeia a estação de "primavera dos ventos

Cidades da região sudoeste de Mato Grosso do Sul e microrregião de Dourados enfrentam inundações e destelhamentos devido às chuvas prolongadas e ventanias intensas. Em Caarapó e Fátima do Sul, por exemplo, a situação é mais grave e famílias estão desalojadas.

Os estragos são piores devido as ventanias que destelham residências. O meteorologista Natálio Abrão pontua que as alterações não param. "Cada vez que mexo no radar saí uma imagem. E outubro eu avisei... primavera dos ventos", disse.

Em Fátima do Sul, a chuva começou por volta das 3h e até agora não parou. Segundo a meteorologia, 25 minutos do fenômeno foram suficientes para inundar parte da cidade. A quantidade de água somou 27,8 milímetros e os ventos chegaram a 53,5 km/h. Segundo o Corpo de Bombeiros, apesar da intensidade, a equipe não foi acionada para resgate de famílias ou destelhamentos.

Pelo terceiro dia consecutivo, chuva que atinge Caarapó já bateu recorde do previsto para todo o mês. Até ontem, o acumulado somou 137 milímetros e só nesta madrugada choveu mais 32,8 mm. Os ventos chegam aos 54 km/h. Conforme o meteorologista Natálio Abrão, o acumulado chega a 249,8 mm, 85 milímetros a mais do esperado para todo o mês de outubro, quando a previsão era de 164,8 mm. Nesta manhã chove fraco, mas já soma 9,2 mm.

Na segunda-feira (8), o prefeito interino André Nezzi (PDT) pediu a compreensão da população, tendo em vista que a prefeitura deverá realizar serviços de prevenção de inundações na região afetada. "Assim que a chuva der uma trégua, estaremos providenciando os serviços necessários, claro, dentro das nossas possibilidades", garantiu.

Nezzi esclarece que a solução definitiva para o problema de alagamento virá com a execução de obras de drenagem pluvial na região.

Em Dourados amanheceu com chuvas, mas as quantidades, ainda, são levantadas. Também chove em Juti e em menos de meia hora choveu 38 mm. Os ventos chegam a 50 km/h.

Na cidade de Iguatemi a chuva soma 36,6 mm e as rajadas de ventos chegam a 46 km/h. Em Itaquiraí já são 40 mm em menos de 45 minutos. Neste município, há registro de destelhamentos e os ventos superam os 60 km/h.

Em Ponta Porã, os ventos estão fortes e chegam a 51 km/h. As pancadas de chuva chegam a 18,4 mm. Em Nova Andradina, choveu forte na madrugada e continua nesta manhã, no entanto, o Corpo de Bombeiros não receberam chamadas para atender destelhamentos ou inundações.

Sete Quedas o tempo está nublado, com trovoadas raios e relâmpagos. Os ventos passam dos 45 km/h e a chuva é intensa são 47mm acumulados em pouco mais de uma hora. (Campo Grande News)

 

Envie seu Comentário

 

Notícias

Política
Esporte
Educação
Dourados
Estado&Região
Economia
Polícia
Geral
Meio Ambiente
Rural
Tecnologia
Brasil&Mundo
Cultura
Curiosidade
Entretenimento
Saúde
Turismo
Religião
Mídia
Ciências

Colunistas

Culturalmente Falando
Cleiton Zóia Münchow
Rebecca Loise
Antenado
Enfoque
Consciência Cósmica
Gastronomia
Informe Vet
Falando de Cinema
Aniversariantes
Salada Mista
Victor Teixeira
Waldir Guerra

+ Canais

Entrevistas
Charges
Vídeos
Eventos

Expediente

Sobre Nós
Anuncie
Trabalhe Conosco
Termos de Uso